FEMINISTA SIM!

Quero te explicar uma coisa: uma das minhas principais “missões” desde que me encontrei como feminista é desfazer imagens estereotipadas e conceitos errados que as pessoas têm do movimento.

Tem gente que teve uma “experiência” ruim com uma feminista e fala que “toda feminista é revoltada”. Não, miga. Eu sou feminista e não me considero revoltada. Mas a revolta existe e é um direito de quem quer se revoltar, só que não significa que isso seja uma “política” do movimento. A gente reclama e problematiza sim! Às vezes isso choca, pois as pessoas não estão acostumadas a verem mulheres bradando o que as incomoda – e que muitas vezes é considerado “só uma brincadeira”.

As generalizações são uma merda. (mais…)

RELACIONAMENTOS ABUSIVOS

Existem muitas formas de silenciar uma mulher e infelizmente, nem todas elas são tão evidentes ou óbvias, o que dificulta ainda mais a tomada de consciência para uma atitude enfática. Claro, houve alguns avanços no que diz respeito a informação e hoje, pelo menos, temos mais mulheres cientes sobre os sinais de uma relação abusiva, seja para o nosso próprio bem ou para o bem das amigas e estranhas a nossa volta.

Algumas mulheres passaram por relacionamentos abusivos a vida toda, desde o berço (sim, uma criação machista é uma violência) à fase adulta (incluam relações de trabalho nesse quesito também) e reconhecer os sinais desse silenciamento torna-se uma questão de sobrevivência. Como que perdidas na selva, avistando o perigo eminente e entendendo nossa fragilidade, podemos racionalizar o risco e assim ter uma estratégia de enfrentamento. Na nossa selva de pedra, ter a palavra e o conhecimento, principalmente de como e onde buscar ajuda, nos protege um pouco mais dos abusos do patriarcado.

Dito isso, podemos nos ater aos relacionamentos afetivos que se consolidam a partir de uma relação hierárquica velada (ou não). Na tentativa de ser aceitas ou por pura doutrinação mesmo, podemos nos deixar levar para uma relação nociva, que nos gera mais ansiedade e frustração que qualquer outro sentimento positivo associado ao prazer de se ter a companhia daquele cara, que existe, mas não é seu parceiro – parceiro mesmo, amigo, confidente, companheiro das horas boas e ruins. (mais…)

TRAIÇÃO: O COMPROMISSO É DE QUEM?

Relacionamentos vem e vão, mas de certa forma há sempre uma questão comum entre eles: a monogamia. Acontece que na nossa sociedade, por motivos que necessitariam de uma explicação muito aprofundada para discorrer aqui, nos organizamos com o padrão de um relacionamento em pares. Um namoro, noivado ou casamento é constituído de um acordo, tal qual uma sociedade, em que ambas as partes assumem os compromissos e riscos para o bom funcionamento da firma.

Combina-se muita coisa nesse contexto, mas principalmente a fidelidade. Como vocês já devem supor pelo teor da introdução, não raramente observamos deturpações sobre esse tratado. Longe de não entender bem alguma cláusula do contrato (não deixa de ser, né?), alguma parte burla as regras e trai. Mas a traição, quando acontece entre um homem e uma mulher, geralmente costuma sobrecarregar apenas a mulher. Afinal, se o homem trai a esposa,noiva ou namorada, a culpa é da “destruidora de lares”, uma figura feminina representante de todos os defeitos que uma mulher possa ter ou então da própria sócia, coitada, que não soube cuidar bem do seu negócio. Ao homem, lhe cabe o papel de provedor e macho-alfa, sobre o qual disputam as interessadas. Injustamente, o julgamento nos divide como se não fizéssemos parte do mesmo lado: o das enganadas. Ao contrário do que se pensa, muitas vezes nessas situações existem duas mulheres iludidas, que acreditaram em um discurso promissor de relacionamento saudável ou mesmo aventura. (mais…)

FEMINISMO É COLETIVO!

Desde que me descobri feminista, eu tenho aprendido algo muito importante: pensar no coletivo. Não que antes eu não pensasse, mas você exercitar isso diariamente se torna algo muito maior.
Vou explicar: antes, eu formava minha opinião com base na minha vivência, na opinião das minhas amigas, família e etc. Hoje em dia, não faço mais isso. Expandi, ampliei o radar e, mais importante, exercitei minha empatia com os problemas alheios. Não é que eu não me importasse com as diferenças sociais, os problemas dos outros, nem nada disso. É que “agora” eu penso, me importo, me indigno com a realidade além da minha vida privilegiada {branca, “magra”, cis, hétero, classe média}.  (mais…)

MICROBLADING

Um dos meus sonhos da vida era bem simples: ter sobrancelhas.

whatsapp-image-2016-09-25-at-15-42-37-2

whatsapp-image-2016-09-25-at-15-42-37-3

As minhas sempre foram finas, falhadas e clarinhas. Ou seja: praticamente nunca tive. Lembrem-se que eu sei LITERALMENTE o que é NÃO ter sobrancelhas pois tive câncer e fiz quimioterapia.

Minha vida sempre foi comprar lápis, testar sombras e novas formas de preencher. Sempre tive receio de fazer algo definitivo pois as pessoas que eu conhecia que tinham feito, tinham algo escuro acima dos olhos e não era aquilo que eu queria. Tentei fazer de Henna uma vez, a criatura conseguiu acentuar a diferença de altura das duas e eu fiquei com a cara torta.

whatsapp-image-2016-09-25-at-15-42-37-5

Mesmo pintando, nunca deu muito certo

Indicada por uma amiga, descobri a evolução das técnicas de micropigmentação fio a fio das sobrancelhas: o microblading. A Babi Hamaji fez e ficou tão boa, tão natural que não pensei duas vezes em aceitar a indicação dela e foi assim que conheci a @brazilianbrows da Carolina D´Almeida. (mais…)

COLETIVO MINISSAIA: EMPODERAMENTO FEMININO E MODA

O jeito que você se veste é uma forma de expressar o que você pensa e sente. Com isso, acreditamos que a moda é um elemento importante para o empoderamento feminino ao longo do tempo. Lembram da rebeldia das minissaias? Pensando assim, somos super à favor desse mix!

O último sábado (17) foi dia mais uma edição do Coletivo Minissaia no no Shopping Center Lapa. O shopping convidou nosso grupo de bloggers para encerrar sua semana de moda, com uma entrevista super descolada com a jornalista Iga Bastianelli. Eu, Monique Maione, Carla Sandes, Sofia Litzinger, Fernando Santana e o nosso convidado Stefano Diaz, conversamos com Iga sobre sua experiência na África, trabalho nas TV e nas diferentes áreas da comunicação e, claro, empoderamento feminino e feminismo. Foi um bate-papo muito interessante! (mais…)

AS NOVAS GERAÇÕES DO FEMINISMO

É fato: cada dia mais, o feminismo cresce. Com o apoio das redes sociais, o movimento se pulverizou, principalmente entre as adolescentes.
Isso me deixa muito feliz, pois acredito que a vida delas pode ser muito menos sofrida do que a minha foi, por exemplo.
Eu já tive uma mãe que era à frente do seu tempo, empoderada e me criou com as mesmas oportunidades que meu irmão teve. Mas nem todas as minhas amigas eram assim. Lembro da minha vizinha de 13 anos na época, que bateu lá em casa achando que estava morrendo, mas ela só estava sangrando pois tinha ficado menstruada. Eu já sabia o que era menstruação muito, muito tempo antes.
Mesmo assim, eu tive a influência da sociedade. Um dia eu também achei que eu era feia, pois eu era alta demais e magra. Já achei que eu tinha que ter um homem do lado para ser feliz, entre outras mil coisas. De qualquer forma, hoje eu vejo que eu já tinha diversos comportamentos feministas, mas a influência do patriarcado era muito forte.
Hoje, as meninas com 15 anos ou menos já sabem que o lugar delas é onde elas quiserem. Lógico que não todas! Mas encontro cada dia mais. Culpa da internet e dos blogs! Ainda bem. (mais…)

SAÚDE: ENDOMETRIOSE. HEIN?

Mais uma colaboradora!!! 🙂 Aeee! Essa é a minha amiga Lilli! *_* Conheço ela há o quê? 11 anos? Tudo por causa dos Backstreet Boys! Ela chega ahazando, falando de um problema muito sério e comum na maioria das mulheres. Tá vendo? Mulherzinha.tk também é cultura e informação!

Segue a ficha!

Lívia Lima, a Lillizinha, carioca, 28 anos, webdesigner e tradutora, adora música, cinema e seriados. Por mais que as coisas pareçam dar errado, ela sempre consegue dar a volta por cima e te receber com um sorriso enorme no rosto.

—————————————————————

Endometriose – Que doença é essa?

Toda mulher sabe que deve fazer uma visita ao ginecologista pelo menos uma vez por ano. Só que existe uma doença que muitos ginecologistas ainda desconhecem: a endometriose. Por incrível que pareça, essa é uma doença comum, que não tem cura, mas tem controle. Ela afeta cerca de 15% das mulheres na idade reprodutiva, mas só vem sendo divulgada há pouco tempo.

Quem nunca teve ou conhece alguma mulher que tem cólicas menstruais muito fortes? Que sempre tentou e nunca teve filhos? Que sente dores durante o sexo? Pois é… Esses são sintomas de endometriose. Todas essas mulheres podem ter a doença e passar a vida toda sem saber, aceitando que “cólica é normal”, que “Deus não quis eu tivesse filhos”, que “meu marido é que é muito bruto”. Só que você, como a boa mulherzinha que é, sabe que nada disso é normal.

Na menstruação o endométrio (a parede do útero) desce pelo canal vaginal. Algumas mulheres têm a “endo”, fragmentos do endométrio sobem pelas trompas e se alojam dentro da barriga. Conforme a mulher vai menstruando, vai produzindo hormônios que fazem com que esses fragmentos (chamados de implantes ou focos) cresçam. Com certas mulheres o organismo não dá conta e elas desenvolvem a doença. Os sintomas são:

– Cólicas fortes que não passam com remédio algum. Por experiência própria – sim, eu tenho endometriose –, eu digo que depois de um tempo deu pra notar uma certa diferença entre a dor da cólica e a dor da endometriose: a cólica até melhora com remédio, mas a outra dor persiste. E essa é forte, muito forte!


– Dor durante o sexo. Nós sabemos que pra ser gostoso e não doer, temos que estar relaxadas, no clima, com tesão, mas se mesmo assim doer, é sinal de alerta!

– Infertilidade. Se a mulher passa um ano tentando engravidar e não consegue.


– Diarréia ou dor forte para evacuar durante o período menstrual.

Nada disso é normal, certo?

Tendo algum desses sintomas, o próximo passo é ir ao ginecologista, que vai pedir alguns exames específicos da doença. Se não pedir, procure outro médico! De preferência um que seja especialista em endometriose.

Diagnosticada a endo, aí vem o tratamento. É feita uma laparoscopia ou uma videolaparoscopia, e nesse momento os focos são destruídos. A cirurgia não é um bicho de sete cabeças e não deixa cicatrizes monstras. Na verdade, está se fazendo mais a videolaparoscopia para que o médico possa ver o que está se passando sem que sejam necessários muitos cortes.

Depois da cirurgia é que vem a parte mais chata. Como a endo se desenvolve com a menstruação, o objetivo se torna parar de menstruar. O ideal mesmo seria engravidar, mas não é bem assim, né? Então é feito um tratamento que induz a menopausa por um período de 3 a 9 meses e depois é indicado um anticoncepcional que bloqueia a menstruação – e é pra nunca mais parar com ele, só quando quiser engravidar ou quando a menopausa vier de verdade. Se parar o anticoncepcional, a endo pode voltar, por isso é que não tem cura!

Mas não é só isso… Vocês sabem que a menopausa não é um período muito agradável. Pois então, os medicamentos pra induzir a menopausa têm vários efeitos chatos: ondas de calor, ganho de peso, secura vaginal, diminuição da libido, uma espécie de TPM sem fim, e a lista não tem tamanho! Claro que quem faz o tratamento não tem todos os efeitos colaterais juntos, e dá pra dar uma aliviada com exercícios físicos, acupuntura, outras técnicas alternativas e alguns remédios que o médico pode indicar.

Mesmo assim, nenhuma dessas conseqüências é pior do que ter a endometriose! Então se ligue! A endometriose é uma doença séria, mas que é tratável ou pode deixar a mulher infértil pra sempre e os focos podem prejudicar seriamente algum órgão! Não se pode esquecer que numa hora dessas, o importante é que ter esperança e paciência, pois tudo isso vai passar, e claro, contar com apoio da família e dos amigos.

Se quiserem mais informações, recomendo esses sites:
http://www.portaldaendometriose.com.br
http://www.endometriose.org.br

E a comunidade no Orkut “Endometriose Sem Limites”:
http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=2207951

Beijinhos,
L i l l i.
@lillizinha

MODA: DICA DE REDE SOCIAL!

Essa é uma dica de uma rede social muito interessante para os apaixonados por moda! Uma rede social somente para quem curte o assunto!!

O ByMK é uma comunidade online sobre moda, o fashion network, onde você se cadastra e tem disponivel diversas imagens de itens legais, como vestidos, bolsas e sapatos, para montar seus looks! É muito fácil e interessante!

Ao fazer o login, você terá acesso a um editor de looks (na parte “Criar Look”, é só clicar e instalar um plug-in para Internet Explorer!), que é muito fácil de mexer! É só clicar nas imagens disponíveis e arrastar para o quadrinho branco. Depois, você salva o look e as pessoas deixam comentários sobre o que acharam! Você também pode fazer o upload das suas imagens preferidas, que já estejam no seu computador.

O legal também (publicitariamente falando! heheh) é que diversas marcas de moda já estão participando também, disponibilizando seus itens para serem usados, em parceria com o site, como Renner, Di Santini, Modices.com, entre outras.

Vale a pena conferir!

Este post está participando do Concurso Profissão Blogueiro, que vai premiar três blogueiros com netbook e kit completo para quem quer ter um blog de sucesso. Acesse: www.ideiasnoar.com.br/profissaoblogueiro.

MÚSICA: INTEGRANTE DE BOY BAND TEM VIDA PRÓPRIA?

Mais colaboradoras!! Tou amando, meninas! Acho que isso vai dar muito certo!! Agora é a vez da Mariana, a nossa caçula. Sou suspeita para falar, pois acho que a Mari é uma clone mais nova de mim! Nada pela aparência (ps: ela é linda!!), mas pelo jeito de pensar. Vejo que ela será uma grande mulherzinha no futuro, pois aos 18 anos, já tem atitude e potencial para tal. (*limpa a baba, Paula!)

Julguem por vocês mesmos!

Mariana Alonso, a Mari, tem 18 anos e é de Santos – SP. Estuda e trabalha com produção de eventos. Como toda mulherzinha, às vezes fica sem saber o que quer, mas SEMPRE sabe o que não quer! Ela ama música, sair de balada, moda e garotos também, claro! Sua maior empolgação no momento, é o carro novo que ela está prestes à ganhar!! 😀

————————————————-

INTEGRANTE DE BOY BAND TEM VIDA PRÓPRIA?

Quem me conhece sabe que eu sou super fã de boybands. ADORO boybands desde criança e cultivo esse afeto por elas até hoje. E não é segredo para ninguém que, assim como a Paula, Backstreet Boys é a uma das minhas boybands favoritas. Sim! Eu digo “uma das” pois o New Kids On The Block também roubou meu coração, mesmo não sendo da minha época. Mas essa história de boybands é muito complexa e cabe muita discussão – que prefiro deixar para outro post.

Apesar de algumas fórmulas menos reais que outras, é inegável o talento de algumas e , principalmente, de alguns integrantes que partiram para carreira solo: Ricky Martin (Menudo), Robbie Willians (Take That) e um dos melhores, Justin Timberlake (NSync)

Falando de Backstreet Boys, um dos integrantes da banda que eu acredito ter mais chances de uma carreira solo bem sucedida é Aj McLean. Sim, aquele tatuado, com cara de doido, que teve problemas com álcool, drogas e foi parar na reabilitação (quando isso nem era moda e muito menos cool). Sim, finalmente, depois de anos de espera o AJ está para lançar o seu cd solo.

“Have It All” estará nas lojas no dia 20 de janeiro (no Japão), mas algumas músicas já são conhecidas das fãs – devido, principalmente, à mini turnê que ele fez nos Estados Unidos em 2008 e algumas estão disponíveis para download na internet.

Que fique claro: minha opinião sobre o cd é realmente de alguém que ama música, não de uma fã dos Backstyreet Boys apenas. Por exemplo, tenho coerência suficiente para dizer que o cd solo de Nick Carter – o meu BSB favorito -, chamado Now or Never, lançado em 2006 -, foi simplesmente sofrível. Sobre o de AJ posso atestar, pelo que já ouvi, é surpreendentemente MUITO BOM.

Com seu estilo marcante, o cd tem uma pegada pop/rock de qualidade. Muitas das letras são densas, falando dos problemas que ele passou na vida, como a reabilitação, por exemplo. Difícil escolher uma musica favorita! Acho que tem música para todo gosto. Para quem gosta de música agitada, recomendo Teenage Wild Life. Quem quer uma calma, para chorar, escute Sincerely Yours ou London. E quem quer algo mais rock, a faixa mais conhecida, a incrível Drive By Love.

“Have It All” com certeza não é um cd apenas para as fãs de Backstreet Boys. Por isso, que tal deixar o pré-conceito de lado e escutar boa música? De repente você gosta e nem precisa contar para seus amigos que ele é um Backstreet Boy. Ou melhor, se você tiver peito pra isso, ouça, curta e ainda mostre para os outros que um integrante de boy band pode sim ter vida própria.

Beijos
Mari
@maarii_

© 2018 - TV Aratu - Todos Direitos Reservados
Rua Pedro Gama, 31, Federação. Tel: 71 3339-8088 - Salvador - BA