Categoria: Notas

CHAMA O MAGO

O candidato Henrique Meirelles (MDB) não consegue decolar nas pesquisas, mas a campanha dele à presidência é um sucesso de crítica. O slogan “Chama o Meirelles”, além do jingle e dos vídeos exibidos no horário eleitoral são os mais elogiados por especialistas em marketing político e até por adversários. “Tenho que admitir. É a campanha mais criativa e bem executada”, admitiu o assessor de um dos oponentes na disputa ao Planalto.

O profissional que assina todo o material publicitário de Meirelles é o jornalista Chico Mendez, que também é mestre em ciência política pela Universidade George Washington e trabalhou nas campanhas ganhadoras do ex-prefeito Eduardo Paes, no Rio de Janeiro, do governador Fernando Pimentel, em Minas Gerais, do prefeito Jonas Donizette, em Campinas, e do presidente do Peru, Pedro Pablo Kuczynski. Na Venezuela, em 2012, Chico Mendez também atuou na campanha do candidato da oposição, Henrique Caprilles, que acabou derrotado por Hugo Chávez.

Antes de optar por Mendez, Meirelles pensou em contratar o baiano Duda Mendonça, marqueteiro que foi importante na campanha vitoriosa de Lula em 2002. Mudou de ideia, porque preferiu um profissional que não tivesse o nome relacionado a nenhum esquema de corrupção. Duda foi acusado de envolvimento no processo do Mensalão sob a acusação de lavagem de dinheiro e evasão de divisas, mas acabou sendo absolvido pelo Supremo Tribunal de Justiça.

 

TABELINHA IMPROVÁVEL

Os eleitores do interior da Bahia estão fechados com o governador Rui Costa, preferem Wagner no senado, mas também querem ver Jair Bolsonaro na presidência. A estranha “chapa” é uma tendência nas cidades visitadas pela coligação liderada pelo PT. Essa, pelo menos, é a impressão relatada por pessoas que fazem parte da equipe do governador.

“Nas viagens e no papo com o povo, percebemos que a maioria dos eleitores de Rui vota em Bolsonaro pra presidente. Esquisito, né?”, contou um dos integrantes da comitiva petista que vem rodando o estado durante a campanha.

O Ibope não divulgou os números da mais recente pesquisa presidencial em cada estado brasileiro. Na pesquisa anterior, divulgada no dia 22 de agosto, Fernando Haddad ainda não era o candidato oficial do PT, mas um cenário com o nome dele foi apresentado aos eleitores baianos. Nesse levantamento, Marina Silva (Rede) liderava na Bahia com 16 pontos, empatada tecnicamente com Bolsonaro (PSL), que tinha 13 pontos. Haddad era o quinto, com apenas 5.

Quase um mês depois, já se sabe que Haddad lidera as intenções de voto na região Nordeste, com 31% da preferência. Quase o dobro de Bolsonaro, que aparece com 16%, segundo o Ibope.

VICE AMEAÇADA?

A carreira eleitoral de Mônica Bahia mal começou e já corre o risco de ser interrompida antes do primeiro pleito. Uma das líderes do Movimento Brasil Livre em Salvador e candidata a vice na chapa encabeçada por José Ronaldo (DEM), a médica de 41 anos pode ter a candidatura impugnada pelo Tribunal Regional Eleitoral, por trabalhar em hospital público. Pela lei, ela deveria ter se afastado da função antes do registro da candidatura, ainda no mês de abril.

Procurada pela equipe do Linha de Frente, Mônica Bahia informou que está tranquila, porque não houve problema com os prazos. “Os advogados da coligação já estão respondendo e em seguida eu passo mais informações”, acrescentou.

O pedido de impugnação foi feito por um cidadão. No site do TSE, na coluna “situação”, consta como deferido o registro da candidatura de Mônica Bahia.

LUÍZA QUEM?

A coluna Radar, da Veja, atualmente assinada pelo jornalista Maurício Lima, publicou hoje pela manhã uma nota dizendo que o candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL) estaria arrependido por ter faltado à sabatina organizada pela empresária Luíza Helena Trajano.

De acordo com a nota, “os candidatos tinham que confirmar presença até terça-feira da semana passada – o encontro foi na quinta. Em um primeiro momento, Bolsonaro de fato negou o convite, mas depois se arrependeu e quis participar”.

A resposta de Bolsonaro veio hoje à tarde, num texto de pouquíssimas palavras, postado no Twitter:

“Quem é Luíza Trajano?”.

Luíza Trajano é a dona da rede de lojas de varejo, Magazine Luíza, e é uma das mulheres mais ricas do país, com fortuna superior a R$ 1,5 bilhão.

Tanto Jair Bolsonaro como Luíza Helena Trajano conversaram recentemente com a equipe do Linha de Frente. Confira as entrevistas exclusivas nos vídeos abaixo:

SÓ FALTAM DOIS

Manhã do dia 15, prazo estourando e onze presidenciáveis oficializaram a candidatura e já aparecem no site do TSE. Os dois que faltam são os políticos que mais se candidataram ao cargo máximo da República desde o fim do regime militar. Os nomes de José Maria Eymael e de Luis Inácio Lula da Silva ainda não foram registrados. Eymael – o Democrata Cristão famoso pelo marcante jingle de campanha – foi candidato em 1998, 2006, 2014 e vai tentar novamente agora em 2018.

Lula – que está condenado em segunda instância e preso por corrupção e lavagem de dinheiro – foi candidato em 1989, 1994, 1998, ganhou em 2002 e se reelegeu em 2006. O registro da candidatura é um dos atos de campanha do PT, que reuniu a militância para uma manifestação em Brasília. O ex-presidente cumpre os requisitos para ser enquadrado na Lei da Ficha Limpa, que, ironicamente, foi sancionada por ele, quando governava o país. Por estar preso em Curitiba, caberá a Fernando Haddad, o vice da chapa, a tarefa de entregar os documentos ao TSE.

RICO ASSUMIDO

O prazo para registro de candidaturas para as eleições 2018 termina na quinta-feira e o sexto postulante à Presidência da República incluiu o nome no sistema do TSE. Foi João Amoêdo, do Partido Novo. Ele não está entre os primeiros nas pesquisas, está num partido sem representantes no Congresso, vai ter apenas cinco segundos de tempo de propaganda em rádio e TV, mas pode ostentar o título de candidato mais rico no pleito deste ano.

Na comparação com os concorrentes já inscritos, a discrepância é enorme. Enquanto Ciro Gomes (PDT) e Geraldo Alckmin (PSDB) apresentaram ao TSE menos de R$ 2 milhões em bens – e Guilherme Boulos (PSOL) declarou apenas um automóvel usado de R$ 15 mil – Amoêdo declarou um patrimônio de mais de R$ 425 milhões. O candidato do Partido Novo é um empresário bem sucedido e também já dirigiu algumas das mais importantes instituições bancárias do país.

Entre os bens declarados, muitas aplicações no mercado financeiro, imóveis caros, automóveis de luxo e uma embarcação no valor de R$ 4,1 milhões. Outro candidato que, após fazer o registro da candidatura, deve revelar uma fortuna superior a uma centena de milhões de reais é o executivo e ex-Ministro da Fazenda, Henrique Meireles.

Uma grande curiosidade é com relação à declaração de bens do ex-presidente Lula, que está preso por causa de um apartamento tríplex e é investigado por supostamente ser dono de um sítio. Na quinta-feira, os bens do ex-presidente (aqueles registrados no nome dele) estarão à disposição dos eleitores através do site http://divulgacandcontas.tse.jus.br/divulga/#/

CIRO REGISTRADO

Ciro Gomes (PDT) é o quinto candidato a oficializar  o registro da candidatura à Presidência da República no TSE. Antes dele, Guilherme Boulos (PSOL), Cabo Daciolo (Patriota), Geraldo Alckmim (PSDB) e Vera Lúcia (PSTU) já constavam no sistema do Tribunal Superior Eleitoral.  No detalhamento do patrimônio, obrigatório para realização do registro, Ciro Gomes declarou R$ 1,695 milhão, que inclui uma casa e dois apartamentos, além de automóveis e investimentos. A candidata a vice, a Senadora e ex-Ministra da Agricultura, Kátia Abreu, é mais rica que Ciro, com R$ 2,690 milhões em bens.

LULA LIDERA

A pesquisa também apresentou um cenário com Lula na lista de candidatos. O ex-presidente tem 31% das intenções de voto, o maior número desde o primeiro levantamento XP/Ipespe realizado em 15 de maio. Jair Bolsonaro aparece 12 pontos abaixo, com 19%, seguido de um empate técnico quádruplo entre Geraldo Alckmin (9%), Marina Silva (8%), Ciro Gomes (6%) e Álvaro Dias (5%).

BOLSONARO LIDERA

A XP investimentos divulgou esta manhã o resultado da primeira pesquisa para a Presidência da República realizada após o fim das convenções dos partidos, ou seja, com todos os candidatos já conhecidos e oficializados. O levantamento foi feito pelo Ipespe e no cenário que não inclui o ex-presidente Lula – inelegível de acordo com a Lei da Ficha Limpa – Bolsonaro lidera com mais que a soma do segundo e terceiro colocados. Importante destacar que a pesquisa também não inclui o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, o candidato a vice escolhido por Lula e que, provavelmente, será o candidato do PT à presidência.

Confira o resultado da pesquisa feita entre os dias 6 e 8 de agosto:

Jair Bolsonaro – 23%
Marina Silva – 12%
Geraldo Alckmin – 10%
Ciro Gomes – 9%
Alvaro Dias – 5%
Manuela D’Ávila – 3%
Henrique Meirelles – 3%
Guilherme Boulos – 1%

A pesquisa está registrada no TSE com o código BR-08988/2018

ENQUANTO ISSO… NA INTERNET

Na Band, candidatos em liberdade e autorizados pela Justiça debatem. Enquanto isso, o PT realiza um “debate” paralelo ao vivo pelo YouTube. Gleisi Hoffman, Fernando Haddad, Manuela D’Ávila e José Sérgio Gabrielli conversam em um cenário que tem o nome de Lula ao fundo. O ex-presidente aparece em vídeos de depoimentos antigos. Internautas participam ativamente (e agressivamente) no espaço reservado aos comentários em tempo real.

© 2018 - TV Aratu - Todos Direitos Reservados
Rua Pedro Gama, 31, Federação. Tel: 71 3339-8088 - Salvador - BA