“GROTESCA FAKE NEWS”, AFIRMA DORIA, AO LADO DA MULHER, SOBRE VÍDEO ÍNTIMO

Ao lado da mulher, Beatriz Doria, com quem é casado há 26 anos, o candidato ao Governo de São Paulo, João Doria (PSDB), gravou um vídeo-resposta onde aparece repudiando o vídeo íntimo atribuído a ele, que tem circulado nas redes sociais desde esta terça-feira (23/10).

O político disse que respeita a família, que as imagens da gravação serão analisadas por peritos profissionais e que foi vítima de uma “grotesca fake news”.

Assista: 

 

Siga-nos no Twitter: @linhadefrenteba

 

JOSÉ RONALDO E BOLSONARO: VIROU DOBRADINHA?

Um vídeo circula por whatsapp insinuando que o candidato ao governo da Bahia pelo DEM, José Ronaldo de Carvalho, pede votos para Jair Bolsonaro (PSL), ao invés de Geraldo Alckmin, que seria o presidenciável natural da coligação, até por ACM Neto ser o coordenador da campanha.

A intenção do político, na verdade, era fazer, entre os eleitores, uma checagem sobre o nível de confiabilidade das pesquisas. “Quem vai votar em Ciro Gomes para presidente da República, levanta o braço”, pergunta Zé Ronaldo, para a manifestação de alguns. Ele questiona o mesmo sobre Alckmin e mais eleitores se pronunciam. Quando cita Bolsonaro, a multidão vai ao delírio.

Veja o vídeo de José Ronaldo:

A relação entre as duas candidaturas, no entanto, está cada vez mais próxima. Neste domingo (23), em ato pró-Bolsonaro no Farol da Barra, o senador Magno Malta, um dos coordenadores de campanha do capitão, fez questão de reforçar o apoio na Bahia a José Ronaldo. “Conversando com Bolsonaro decidimos que em cada estado que existir alguém disputando eleição enfrentando o PT, esse passa a ser o nosso candidato”, disse Malta, segundo relatou o site Bahia Notícias.

A declaração irritou João Henrique Carneiro, que reivindica no horário político a dobradinha com Bolsonaro por ser do PRTB, a sigla do general Mourão, candidato a vice.

Siga-nos pelo twitter: @linhadefrenteba

 

Álvaro Dias chama Bolsonaro de “bandido”, “vagabundo” e diz que ele “está quase morto”; veja vídeo

Durante ato de campanha no interior do Paraná, o presidenciável Álvaro Dias (Podemos) não escondeu a irritação ao ouvir o nome de Jair Bolsonaro. Ele disse que o líder das pesquisas “está quase morto” e o chamou de “bandido” e “vagabundo”. Na pesquisa DataFolha divulgada na madrugada desta quinta (20), Bolsonaro aparece com 28% das intenções de voto, enquanto Álvaro Dias é o sétimo colocado, com 3%.

O desabafo foi registrado em um vídeo gravado em celular. Dias cumprimentava eleitores quando alguém falou: “Amigo, no final, colabora com o Bolsonaro.”

O ex-governador do Paraná reagiu:

“Deus me livre! Vocês querem destruir o Brasil? Isso [Bolsonaro] não sabe nada, isso é um bandido! Trinta anos [no Congresso], só fez pra ele e pra família. [Não fez] Nada! Isso é um vagabundo total! E ele tá quase morto. Tá quase morto. Não ganha [de] ninguém no segundo turno. Vocês estão enganados, vocês estão enganados. E eu tô bravo, eu tô bravo.”

Veja o vídeo:

Dias continuou posando para fotos, mas prosseguiu:

“Vocês querem honestidade, ou querem pilantragem? Malandro das praias cariocas não vai fazer nada pelo Paraná, não. Eu vou dizer: ele é vagabundo. Se não fosse a facada, eu estaria destruindo ele hoje. Ele é vagabundo.”

O eleitor ainda tentou contemporizar dizendo que há outros candidatos piores. Dias, com expressão menos nervosa do que no início, tentou consertar: “É, mas tem que votar no melhor, hein, não tem que votar no pior”.

Na continuação, o candidato revelou que se tratava de um desabafo e chegou a pedir “desculpa [por] alguma coisa”.

As últimas semanas de campanha no primeiro turno prenunciam guerra e baixaria.

Siga-nos no twitter: @linhadefrenteba

ALCKMIN ENTRE “VERMELHO” E “PRECONCEITO”: veja vídeo

Para tentar sair do incômodo quarto lugar (com um dígito apenas de preferência do eleitorado), a campanha de Geraldo Alckmin decidiu adotar tom agressivo nas três últimas semanas antes do primeiro turno. É tudo ou nada.  A estratégia é colocar os principais adversários (Haddad e Bolsonaro) em situações extremistas. A propaganda política desta terça (18) citou a “turma do Vermelho” e a “turma do preconceito e da intolerância” para colocar o tucano como alternativa.

“De um lado, nós temos a turma de vermelho, que quer o fim da Operação Lava Jato para encobrir o maior escândalo de corrupção do mundo. A turma que colocou o Brasil na sua maior crise”, declara a apresentadora.

Ela continua a ler o texto, embalada por uma trilha sonora de fundo que parece de filme de suspense – ou policial. “De outro lado, temos a turma do preconceito, que persegue mulheres até nas redes sociais. A turma da revolta, da ignorância, do ódio a tudo e a todos. Que quer um deputado despreparado, sem propostas, que acha que vai resolver tudo na bala”.

“Essas duas turmas não vão levar o Brasil para lugar nenhum, a não ser o fundo do poço. Eles não tem proposta, seriedade, e muito menos experiência.”

Cada vez mais distanciado do 2o turno, Alckmin recusava colocar no horário eleitoral um tom alarmista. Parece ter sido convencido do contrário, sob única chance de ainda tentar chegar ao segundo turno, cada dia mais polarizado entre petistas e bolsonarianos.

Veja o vídeo:

 

Siga-nos no twitter: @linhadefrenteba

A TÍMIDA CAMPANHA DE ORLANDO ANDRADE

Orlando Andrada em Feira de Santana

Pela primeira vez concorrendo ao cargo de governador da Bahia, o candidato do Partido da Causa Operária (PCO), Orlando Andrade, tem feito uma campanha tímida pela Bahia. Natural de Feira de Santana, Orlando já concorreu, sem êxito, ao cargo de vice-prefeito da cidade. Aos 33 anos, garante que “não gosta de aparecer”, o que explicaria grande parte de sua agenda política voltada para Feira.

Em uma semana, dos nove compromissos, o ex-carteiro dos Correios cumpriu seis na “princesinha do sertão”. E, a pouco menos de um mês das eleições, Orlando não registrou propostas de governo no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Siga-nos no twitter: @linhadefrenteba

COLLOR DISCURSA PARA 17 PESSOAS EM CAMPANHA; ASSISTA

Candidato ao governo de Alagoas, o senador Fernando Collor de Melo foi filmado discursando para 17 pessoas no interior do estado. Na gravação de 15 segundos, ele aparece pedindo voto para o candidato ao senado Benedito de Lira (PP).

Na imagem, é possível contar 17 pessoas próximas à picape, cuja carroceria serviu de palco para o ex-presidente da República. Canapi, onde o registro foi feito, é um município no sertão alagoano, a 250 quilômetros de Maceió, com 17500 habitantes, segundo estimativa do censo de 2010.

A cidade é administrada por prefeito do DEM.

Assista ao vídeo:

Participe do debate pelo twitter com @linhadefrenteba

AGRONEGÓCIO: TEMA DE QUALQUER CANDIDATO

Nesta eleição em 2018, candidatos a presidente e governadores precisam falar espontaneamente – ou serem provocados – sobre o agronegócio, o setor econômico que tem despistado a crise com inovação e investimentos.

O segmento tem sido a locomotiva na geração de postos de trabalho no país. Em julho, os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) apontou o agronegócio como o principal gerador de emprego no país, com saldo de 17.455 ocupações com carteira assinada. O agronegócio foi seguido por serviços (14.548 empregos) e construção civil (10.063 postos).

Num país com 13 milhões de desempregados, e na Bahia com 1,3 milhões de cidadãos sem ocupação, a produção agrícola e pecuária precisa ser cortejada por qualquer postulante a cargo executivo.

Siga o @LinhadeFrenteBA no Twitter

“DEUS” E O “MUDO” NAS ELEIÇÕES 2018

Em todo o país, as chapas que vão disputar as eleições majoritárias têm uma curiosa semelhança. O candidato pode ser de esquerda, centro ou direita, mas as palavras “Deus” e “mudar” são as que mais se repetem nos nomes das coligações. Aqui na Bahia, o ex-prefeito João Henrique (PRTB) surfou na onda Bolsonaro e praticamente repetiu o lema de campanha do presidenciável do PSL. “Bahia acima de tudo. Deus acima de todos”. Troque Bahia por Brasil e o texto de João vira a frase de Jair, com o mesmo Deus servindo de mote para as duas campanhas, numa espécie de franquia abençoada por uma aliança nacional.

Será que a agência publicitária que criou o “Pra mudar de verdade” de João Santana (MDB) é a mesma que criou o “Coragem para mudar”, de José Ronaldo (DEM), e o “Vamos sem medo de mudar a Bahia”, de Marcos Mendes (PSOL)? Ou virou uma regra que todas as chapas de oposição utilizem a palavra “mudar” nos seus slogans?

A equipe do candidato à reeleição, Rui Costa (PT), não está muito a fim de falar em mudança este ano e a turma do marketing optou pela frase “Mais trabalho por toda a Bahia”. Quatro anos atrás, no entanto, embora fosse o candidato da situação, o nome da chapa era “Pra Bahia mudar mais”.

Moral da história. Os marqueteiros adoram falar que as coisas vão mudar, mas não mudam o tom das campanhas de seus clientes.

Siga o @LinhadeFrenteBA no Twitter

SEM MEDO DE SER… VERMELHO

O vermelho voltou a ser a cor da moda na coleção outono-inverno do petismo na Bahia.

Há quatro anos, o PT andou meio camuflado e usando um look diferente. O material de campanha do então candidato ao governo, Rui Costa, parecia obra de designer tucano. Letras brancas em fundo azul e nada de estrelas nos cartazes. Nem parecia o PT.

Este ano, o vermelho voltou com tudo e prevalece na nova logomarca do governador candidato à reeleição, embora o próprio tenha optado por uma discreta camisa branca na convenção que homologou a chapa da situação.

© 2018 - TV Aratu - Todos Direitos Reservados
Rua Pedro Gama, 31, Federação. Tel: 71 3339-8088 - Salvador - BA