PESQUISAS DE INTENÇÕES DE VOTO MOSTRAM POUCA VARIAÇÃO ENTRE BOLSONARO E HADDAD

A pesquisa Vox Populi, divulgada na tarde desta sexta-feira (19/10), mostra as intenções de votos mais acirradas para o segundo turno das eleições 2018, para presidente da República. Com margem de erro de 2,2% para mais ou para menos,  Bolsonaro aparece com 44% das intenções de votos e 53% dos votos válidos, que exclui brancos/nulos e indecisos. Já Haddad tem 39%, com 47% dos válidos.

A exploração foi realizada nos dias 16 e 17 de outubro, com 2.000 entrevistas, em 120 municípios, com pessoas com 16 anos ou mais, residente em áreas urbanas e rurais, de todos os estados e do Distrito Federal, em capitais, regiões metropolitanas e no interior, de todos os estratos socioeconômico.

Já a pesquisa Datafolha, publicada na última quinta-feira (19/10), mostra Bolsonaro com 50% dos votos contra 35% de Haddad.

Siga o Linha de Frente no Twitter: @linhadefrenteba

PESQUISA PARANÁ FEITA NO RIO DE JANEIRO DÁ LARGA VANTAGEM A BOLSONARO

Como esperado, Jair Bolsonaro (PSL) é o preferido no estado do Rio de Janeiro, onde mora desde 1991, quando foi eleito deputado federal pela primeira vez, somando sete mandatos.

De acordo com pesquisa do Instituto Paraná, divulgada nesta quarta-feira (17/10) pela Jovem Pan News, Bolsonaro aparece com 60,1% dos votos no Rio, contra 24,8% do ex-prefeito de São Paulo, o petista Fernando Haddad.

Entre os votos válidos, Bolsonaro fica com 70,2% contra 29,8% de Haddad.

PRINCIPAIS BUSCAS SOBRE ELEIÇÕES 2018 NO GOOGLE

Faltam dois dias para o segundo turno das eleições e o eleitor ainda tem questionamentos tais como onde votar, quem votar e como votar. Prova disso são as principais buscas mostradas no “Google Trends Eleições 2018”, plataforma que divulga o comportamento do eleitor na internet com relação aos candidatos à Presidência.

Entre as cinco pesquisas estão: lei eleitoral que proíbe a prisão – menos em caso de flagrantes -, cola eleitoral e consulta da zona e seção eleitoral.

As buscas no Google sobre eleições nos últimos 7 dias

As buscas no Google sobre eleições nos últimos 7 dias

Siga o Linha de Frente no Twitter: @linhadefrenteba

RELEVÂNCIA DOS PRESIDENCIÁVEIS NAS REDES SOCIAIS

O candidato Jair Bolsonaro (PSL) é quem lidera em número de seguidores nas três principais redes (Facebook, Twitter e Instagram). Somando todas, no total são 10,4 milhões de seguidores. Após o atentado que sofreu em Juiz de Fora (MG), no dia 06 de setembro, Bolsonaro conquistou 202.296 mil novos seguidores no Facebook, entre os dias 06 e 15 de setembro – essa, aliás, é a rede com maior expressão do candidato.

Nos últimos três meses ele registra 16% de aumento de base. Entre os dias 27 de agosto a 05 de setembro, ele conquistou 215.899 mil fãs, com um pico entre os dias 28 e 29 de agosto (111.358), após sua entrevista ao Jornal Nacional, da TV Globo.

No mesmo período de 06 a 15 de setembro, João Amoêdo (Novo) foi o segundo a crescer em número de seguidores, com 152.038 novos fãs nas redes em que se faz presente. Nos últimos 90 dias, Amoêdo aumentou em 124% sua base, que registra 2,5 milhões de seguidores e/ou fãs.

No quesito comentários, Jair Bolsonaro é o que mais gera comentários, média de 7 mil por post nos últimos 90 dias, seguido por Cabo Daciolo, candidato do Patriota, com 1.712 mil comentários.

O Twitter é uma das redes sociais que mais permite publicações de texto e que gera conversa. O campeão de publicação, nos últimos 90 dias, é Henrique Meirelles (MDB). Seu perfil registrou 2,5 mil tuítes nos últimos 90 dias. O segundo que mais produz conteúdo nesta rede é Álvaro Dias (Podemos), com 1,5 mil publicações. Entretanto, ambos são os que menos geram retuítes, um importante fator sobre exercer influência nos seguidores. A média é de apenas 20 retuítes para cada.

Quem mais gera retuítes é Jair Bolsonaro, com 2,5 mil compartilhamentos de suas publicações. No Instagram, plataforma focada em fotografias e hashtags, o que mais fez postagens nos últimos 90 dias foi Guilherme Boulos (PSOL), com 1 mil posts, seguido de Álvaro Dias, com 691.

No Instagram, após o atentado contra Jair Bolsonaro, que conquistou mais de 437 mil seguidores, o segundo que mais cresceu depois desse fato foi Ciro Gomes (PDT). No período de 06 a 15 de setembro, o candidato obteve 80.840 mil novos perfis. Hoje Gomes tem 340 mil seguidores.

Entre os dias 17 e 19 de setembro, a empresa Airfluencers analisou 500 mil posts no Twitter. Desses, citaram 181.563 mil vezes “Bolsonaro”, 106.999 mil mencionaram “Haddad” e 45.889 marcaram “Ciro”. Alckmin é mencionado 30.091 mil vezes. A hashtag #elenao foi citada 28.855 vezes.

Siga-nos no twitter: @linhadefrenteba

CANDIDATOS AO GOVERNO, IDEB PREOCUPANTE E PROPOSTAS PARA A EDUCAÇÃO

Na última segunda-feira (3/9), o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgou o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), onde a Bahia aparece com números inferiores à meta estabelecida. Apenas o 5º ano do ensino fundamental teve nota positiva, obtendo 4,7 no ano passado, superando, inclusive, a meta de 2019, que era de 4,5. Mas o ensino médio na rede estadual, por exemplo, teve uma queda de 3,0 para 2,7 em seis anos. Confira todos os índices clicando aqui.

Em 2018, os postulantes ao cargo de governador da Bahia registraram propostas para a educação no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Confira:

Célia Sacramento (Rede)

Quer investir na formação técnico-profissional, com o Programa Jovem Técnico; promete “erradicar o analfabetismo no Estado da Bahia no período de quatro anos, através do Programa Bahia Alfabetizadora”; quer ampliar o número de escolas de ensino fundamental; “modernizar a estrutura física das escolas”; e implantar o serviço de orientação pedagógica.

João Henrique Carneiro (PRTB)

Promete ampliar o Programa Todos pela Alfabetização (Topa); aumentar o número de escolas em comunidades rurais; quer intensificar a infraestrutura das escolas; quer ainda apoiar os estudantes de baixa renda; e dar prioridade para a educação especial nas escolas.

João Santana (MDB)

Quer implantar o ensino técnico profissionalizante no regime integral; dar prioridade aos municípios com menores Índices de Desenvolvimento; e reformular a estrutura física de todas as escolas do estado, de todos os níveis.

Marcos Mendes (PSOL)

O candidato quer implantar o regime integral em todas as escolas do estado; mais atenção à educação de pessoas com deficiência, quilombolas, indígenas, grupos LGBTQ+ e idosos; reformular o plano de carreira dos professores estaduais; implantar “elementos da cultura geral, da cultura humanística e da cultura formativa”.

Rui Costa (PT)

O atual governador promete  incrementar disciplinas que discutam temas atuais como questões de gênero, educação socioemocional, culturas afro-brasileiras, entre outros; aliar a tecnologia à educação; iniciar a educação científica nas escolas de educação básica;  “implantar ao menos um curso profissionalizante em cada unidade escolar”; investir em ações que estimule a alfabetização; e “ampliar a proficiência dos estudantes no Ensino Médio”.

Zé Ronaldo (DEM)

Afirma que vai aliar a formação geral com a formação profissional integrada; promete investir na formação dos professores e o pagamento de bônus nos salários deles, a partir dos resultados obtidos pelos alunos; “criar um programa especial de apoio técnico, administrativo e pedagógico aos municípios”; implantar o Novo Ensino Médio, com integração da educação profissional; e inovar o currículo, para “atender os interesses dos jovens”.

O candidato Orlando Andrade (PCO) não possui plano de governo registrado no TSE.

Siga-nos no twitter: @linhadefrenteba

REDUÇÃO DA MAIORIDADE PENAL ATÉ O ÚTERO

O candidato ao Senado, Francisco José (Rede), foi o segundo sabatinado da Aratu, na última terça-feira (4/9). Mas o que o postulante não conseguiu falar ao vivo durante o programa, disse ao Linha de Frente após a transmissão. Como o nome já poderia indicar, Francisco José é um homem católico, mas que garante ajudar Marina Silva, também da Rede Sustentabilidade, em um dos seus projetos: garantir o respeito aos LGBTQ+, mas com ações políticas e projetos de lei não especificados pelo candidato.

Em outro tema polêmico, a redução da maioridade penal, Francisco José garantiu que é contra a Pec 95, que deve voltar a ser discutida no Congresso após a eleição. “Sou totalmente contra e vou votar contra quando chegar o momento. Querem reduzir de 18 para 16, depois vão pensar em reduzir de 16 para 14 e vão fazendo a redução da redução. Até que um dia, no útero, vão dizer ‘olhe, você aí dentro, se pensar em roubar um pirulito no berçário, vai parar na detenção’. Eu encaro como coisa mesquinha”, disse o candidato.

Durante a sabatina, o candidato falou ainda sobre a Operação Lava Jato, a atuação do juiz Sérgio Moro e sobre segurança pública na Bahia.

Confira sabatina na íntegra:

Linha de Frente Eleições: Francisco José (Rede), Candidato ao Senado

Linha de Frente Eleições: Francisco José (Rede), Candidato ao Senado

Gepostet von Aratu Online am Dienstag, 4. September 2018

Siga-nos no twitter: @linhadefrenteba

1º ROUND NO TWITTER: QUEM LEVOU A MELHOR ENTRE PRESIDENCIÁVEIS?

Não é só a cadeira do Planalto que os candidatos à Presidência da República querem ocupar. Os Trends Topics do Twitter também são um indicativo importante nas eleições 2018. É a partir deles que as equipes de comunicação dos candidatos conseguem acompanhar o que os internautas estão achando da participação de cada um em debates como o da noite da última quinta-feira (9/8), na Bandeirantes.

Assim que começou o evento, os líderes do Twitter eram Bolsonaro (PSL) (#EstouComBolsonaro), Boulos (Psol) (#BoulosnaBand) e Lula (PT) (#DebatecomLula). O petista não participou do debate porque está preso em Curitiba desde 7 de abril deste ano, mas foi citado porque o PT realizou um debate paralelo ao da emissora, na internet.

Trends às 22h, no início do debate

Ao final do segundo bloco, apareceram Ciro Gomes (PDT) (#CiroNaBand), Alvaro (Podemos) (#Alvaro) e Cabo Daciolo (Patriota) (#CaboDaciolo).

Trends às 00h, no final do segundo bloco do debate

Na rede social, o ranking de mais citados ficou assim: Bolsonaro encabeçando entre os mais comentados na rede social, Cabo Daciolo em segundo lugar, Alvaro Dias em terceiro, Boulos em quarto, Marina Silva (Rede), que apareceu pela primeira vez no espaço apenas no final do debate, e Ciro Gomes.

Trends às 1h, no final do debate

Ficaram sem expressão na rede social o ex-ministro da Fazenda, Henrique Meirelles (MDB), e o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB).

Siga o @linhadefrenteba no Twitter.

AUDIÊNCIA QUALIFICADA PARA O DEBATE

Poucos são os candidatos baianos (a governador, senador ou deputados) que mantiveram compromissos de campanha para a noite desta quinta (9). Quase todos eles pretendem acompanhar o primeiro debate entre os presidenciáveis, pela Bandeirantes, a partir de 22h.

Muitos estão interessados em saber, com exatidão, qual vai ser o tom adotado pelo candidato favorito em relação a temas como segurança, saúde, reformas tributária e trabalhista. Agora, o tema mais cobiçado é qual vai ser o tratamento ao atual governo de Michel Temer, e o nível de ênfase nas críticas que cada um vai adotar. Os baianos querem estar alinhados em forma e conteúdo com os presidenciáveis que vão defender ao longo da campanha.

O debate no SBT será na noite de 26 de setembro, em parceria com UOL e Folha.

Participe das transmissões pelo www.twitter.com/linhadefrenteba

 

Cinco candidatos a presidente devem ser excluídos de todos os debates: quem são?

A Bandeirantes promove na noite desta quinta (9) o primeiro debate com candidatos a presidente da República. O encontro será mediado pelo jornalista Ricardo Boechat e oito políticos foram convidados: Alvaro Dias (Podemos), Cabo Daciolo (Patriotas), Ciro Gomes (PDT), Henrique Meirelles (MDB), Jair Bolsonaro (PSL), Geraldo Alckmin (PSDB), Guilherme Boulos (Psol), Marina Silva (Rede).

Os escolhidos têm participação garantida por força da lei eleitoral que determina convite para qualquer candidato de coligações com pelo menos cinco congressistas federais. Como são 13 presidenciáveis, cinco ficaram de fora. O PT pediu a inclusão de Lula, mas o Tribunal Regional Federal 4 negou a solicitação.

Outros quatro nomes estão de fora: João Amoedo (Novo), João Goulart Filho (PPL), José Maria Eymael (DC) e Vera Lúcia (PSTU). Eles não devem ser chamados em mais nenhum debate.

É muito complicado montar debates para televisão com mais de seis candidatos e em números ímpares.

O debate do SBT será feito em parceria com UOL e Folha, no dia 26 de setembro.

 

Nos acompanhe também pelo www.twitter.com/linhadefrenteba

© 2018 - TV Aratu - Todos Direitos Reservados
Rua Pedro Gama, 31, Federação. Tel: 71 3339-8088 - Salvador - BA