MBL X PSOL: LUTA FRANCA NAS REDES SOCIAIS

No canto direito, com calção verde e amarelo, o Movimento Brasil Livre, sempre rápido nos contragolpes. Do outro lado, o PSOL e seus potentes ataques de esquerda. No ringue das redes sociais, o dia começou com um combate digno de disputa pelo título de campeão (não das urnas, mas dos likes e retuítes).

A turma que administra a conta de Twitter do PSOL (@psol50) criou um meme para provocar o candidato Jair Bolsonaro que, por recomendação médica, recusou o convite para participar do debate da Band, o primeiro na campanha de segundo turno. Acompanhado da hashtag #BolsonaroCagao, A montagem traz duas frases e duas fotos para tentar mostrar aos seguidores que o candidato do PSL é corajoso nas redes sociais, mas medroso fora do ambiente virtual.

A resposta veio através da conta do MBL (@MBlivre) e relembrou o fato de Bolsonaro ter sido esfaqueado por um homem que foi militante… do PSOL.

 

WAGNER GANHA DO MBL NA JUSTIÇA POR FAKENEWS

O Movimento Brasil Livre será obrigado a publicar, na página do facebook, resposta do ex-governador e candidato ao senado pela Bahia, Jaques Wagner (PT).

A desembargadora do Tribunal Regional Eleitoral da Bahia, Gardênia Pereira Duarte, sentenciou o MBL e os integrantes Kim Kataguiri (22 anos) e Fernando Holiday (21 anos), vereador de São Paulo pelo DEM, a concederem espaço ao candidato de 67 anos. A relatora entendeu que os jovens praticaram fakenews ao divulgarem que o ex-governador teria sido vaiado e xingado durante manifestação a favor de Lula, no dia 11 de agosto, no Shopping Barra.

A publicação de Kim e Holiday, feita no dia 12 e excluída no dia seguinte, insinuava que o ex-governador fora abordado aos gritos de “ladrão”, “cadeia” e “presidiário”. A defesa do MBL tentou alegar que a postagem foi apagada três horas depois. A juíza entendeu que o estrago na imagem do candidato já tinha sido feito e precisava ser reparado.

Sentença da juíza do TRE-BA dá ganho parcial de causa a Wagner contra Kataguiri e Holiday

A juíza, no entanto, negou o pedido de que os acusados sejam proibidos de novos posts. “O MBL mentiu, ofendeu e o TRE fez justiça. Esperamos que aprendam a lição”, declarou o coordenador da campanha de Wagner, Éden Valadares.

A página do MBL no facebook tem mais de 2,7 milhões de seguidores.

Acompanhe o nosso debate pelo www.twitter.com/linhadefrenteba

© 2018 - TV Aratu - Todos Direitos Reservados
Rua Pedro Gama, 31, Federação. Tel: 71 3339-8088 - Salvador - BA