Acidente em tubulação da Embasa começa a ser investigado pelo Crea-BA

Fonte: Da redação

Crédito da Foto: Divulgação

O Crea-BA iniciou, na manhã desta terça-feira (28), os trabalhos da comissão composta por conselheiros da área de engenharia Civil e Agrimensura para apurar o motivo do rompimento da adutora da Embasa, durante a realização das obras do Metrô de Salvador. O acidente, ocorrido em 1º de abril deixou diversos bairros sem água por uma semana. A tubulação da Embasa é um dos principais canais que alimentam o sistema da capital, levando água da Estação de Tratamento Principal, em Candeias, até o Centro de Reservação do Cabula, o maior do município.

Na reunião, os conselheiros discutiram a formação de um cronograma de atividades que abrange visita técnica ao local e reunião com os coordenadores da Embasa. “Vamos ainda solicitar os projetos, dados da investigação, conhecer o tipo de obra e os profissionais que estão envolvidos”, adianta o coordenador do grupo, engenheiro civil Luís Edmundo Prado de Campos.

A comissão ainda pretende solicitar o georreferenciamento da área e saber se ocorreram modificações durante a execução do projeto, o que segundo Campos, é bem comum. “O que não é comum é possuir o registro desta modificação”, observa.

 Na ocasião, foi ainda discutida a falta de controle de redes adequado e a necessidade de utilização, por parte de empresas como Embasa e Coelba, de novos mecanismos de georeferenciamento. “É preciso que seja realizado um trabalho de recadastramento a partir de pontos mais críticos. Para tanto, é necessário equipamento de leitura rápida e precisão milimétrica”, destaca o engenheiro agrimensor Alessandro Machado.

 A comissão decidiu realizar uma visita técnica ao local do acidente na próxima quinta-feira (30), às 9h.