ADMIRÁVEL MUNDO NOVO: Conheça a cidade do interior da Bahia assustada com o aparecimento de um suposto lobisomem

Fonte: Jean Mendes

Crédito da Foto: reprodução/Blog Macaubense Life

É tarde da noite na Rua Sapé, município de Mundo Novo, a 304 km de Salvador. As avenidas estão escuras e são raras as pessoas que circulam pelo local neste horário. Assim, aparece uma criatura corcunda e de orelhas pontudas. É essa história, basicamente, que a população local anda contando e escutando no local há três dias.

A secretária de uma rádio comunitária do município, Adriana da Silva, detalha que os moradores estão temerosos com a situação. “Existem aqueles que juram já ter visto o lobisomem. Com isso, há pessoas que estão com medo de sair de casa à noite”, pontua em entrevista ao Aratu Online. A secretária, entretanto, revela que não viu a criatura. “Se é verdade eu não sei, mas são muitos os comentários”, finaliza.

aratu online bahia

Imagem do suposto lobisomen registrado pelos moradores de Mundo Novo

Atendente de uma farmácia em Mundo Novo, Sérgio Antônio confirma a história que circula no município, mas se mostra cético em relação ao caso. “Soube desse comentário. Acredito que seja alguma brincadeira. Ainda assim, aquele local onde a foto foi tirada não é aqui”, revela. A opinião é dividida pelo funcionário de uma empresa de ônibus que trabalha na rodoviária local, José Camilo de Araújo, que acrescenta: “Andam comentando essa história aqui. Deve ser alguém querendo dar susto”, pontua.

Baseando-se na história do possível lobisomem de Mundo Novo, o Aratu Online quis saber de uma psicóloga alguma explicação para a provável mística. Cláudia Mascarenhas apresenta duas leituras possíveis para a história. Para ela, o caso pode se tratar de uma histeria coletiva, quando um grupo de pessoas apresenta algum comportamento estranho. “É possível afirmar que as pessoas estão assustadas com tudo. Assim, acostumadas com situações difíceis, como tráfico de drogas, homicídios, vêem na mítica uma extravagância para esses problemas”, esclarece.

A outra hipótese levantada por Cláudia é que a pessoa responsável por divulgar a informação esteja tentando fantasiar a realidade. “Uma outra leitura possível é o deslocamento de situações cotidianas difíceis e reais para uma realidade mais fantasiosa. Existe a mesma tensão, porém é mais suportável. É como se assistir um filme de terror”, finaliza a psicóloga.

Mística ou não, os cerca de 25 mil mundo-novenses andam com a história “na ponta da língua”.