“Ainda não estou sabendo”, diz ex-presidente do Bahia após TJ-BA aceitar denúncia por formação de quadrilha

Fonte: Cris Almeida e Diego Adans

Crédito da Foto: Reprodução

Nesta terça-feira (31/10), a segunda turma da 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) aceitou a denúncia por crime de falsidade ideológica e por formação de quadrilha contra o ex-presidente do Esporte Clube Bahia, Marcelo Guimarães Filho, Tiago Melo Cintra, Maurício Castro Carvalho e Jorge Miranda Copello.

LEIA MAIS: TRAGÉDIA: Garoto de 10 anos morre atropelado por ônibus escolar em Simões Filho

O Ministério Público Estadual (MP-BA) havia iniciado a acusação com a denúncia contra os quatro, mas o juiz só acatou a parte relativa à falsidade ideológica e ao crime contra a ordem tributária, excluindo a formação de quadrilha. O MP-BA, então, recorreu e teve o pedido deferido.

Em contato com o Aratu Online, Marcelo confessou que ainda não estava “sabendo de nada”. “Acho estranho porque já ganhei duas vezes nesse processo, mas vou me inteirar. Uma pena que só tem repercussão quando sai, se é que aconteceu, alguma decisão contrária a mim”, disse o ex-presidente do tricolor.

O desembargador e relator da denúncia, Lourival Trindade, chegou a negar, novamente, provimento com relação à formação de quadrilha durante a votação, mas as desembargadoras Rita de Cássia Magalhães e Ivete Caldas restabeleceu a denúncia com o apoio da maioria da segunda turma da 1ª Primeira Câmara Criminal. O processo terá agora curso nesses termos na 1ª instância.

Acompanhe nossas transmissões ao vivo e conteúdos exclusivos no www.aratuonline.com.br/aovivo e no facebook.com/aratuonline.

Publicado originalmente às 18h56*