Alunos de escolas da rede pública participam de oficinas de Wrestling

Fonte: Da redação

Crédito da Foto: Divulgação/Governo da Bahia

A educação formal ganhou um reforço nesta quinta-feira (13), no Colégio Estadual Professora Noemia Rego, localizado no bairro de Valéria, em Salvador. Os alunos da instituição participaram de oficinas de luta com representantes da Confederação Brasileira de Wrestling (CBW), que estão na Bahia para o Mundial Júnior da modalidade, que acontece até domingo (16), no Centro Pan-Americano de Judô, em Lauro de Freitas. Durante o encontro, os alunos ficaram frente a frente com um treinador e dois lutadores para aprender sobre a história, regras e técnicas da arte marcial, popularmente conhecida no Brasil como luta olímpica.

 Durante o mundial, as ações governamentais vão ser realizadas em parceria com o projeto Tour Lotação Esgotada, da Confederação Brasileira de Wrestling. A iniciativa da Confederação consiste nas visitas a colégios para a realização de aulas sobre wrestling.

Desde a última quarta-feira (12), mais de três mil alunos baianos tiveram contato com a modalidade. Até sexta (14), a expectativa é que as oficinas contemplem um total de 50 escolas das redes estadual e municipal de Salvador e Lauro de Freitas. No sábado e domingo, os estudantes irão assistir às lutas do campeonato no Centro Pan-Americano de Judô. “Nós entendemos que o despertar para o esporte é uma importante ação para os jovens estudantes. Eles são dotados de energia e precisam saber utilizá-la para benefício próprio”, destacou o coordenador de esporte da Setre, Dorival Santana.

Segundo o coordenador do projeto Lotação Esgotada, da CBW, Sandro Felício, “o objetivo é apresentar o wrestling a estudantes de escolas públicas e fazer com que eles percebam que através do esporte muitas portas vão se abrir para eles. Além disso, a prática esportiva ajuda no desenvolvimento, inclusive em ambiente escolar. O esporte amplia disciplina, concentração e capacidade de concentração”.

No Colégio Estadual Professora Noemia Rego estudam 2.100 alunos, distribuídos nos três turnos, em ensinos fundamental e médio, educação profissional e educação de jovens e adultos. Diretor da instituição desde 2007, José Roberto Silva ressaltou a importância de levar à escola atividades que encantem os jovens. “Muito conteúdo é passado dentro de sala de aula, mas tem muita coisa a ser mostrada para os alunos. Eles precisam ter acesso ao conhecimento, que, em muitos casos, está associado à experiência prática”, concluiu.