Anderson Silva e Nick Diaz pedem contra-prova do exame de doping

Fonte: Terra

Crédito da Foto: Reprodução

Anderson Silva e sua equipe ainda não se manifestaram sobre o exame que detectou substâncias proibidas no corpo do lutador. De acordo com sua assessoria, isso vai acontecer quando os resultados de outros dois exames forem divulgados. Mas Márcio Tannure, médico diretor da Comissão Atlética Brasileira de MMA, fez algumas revelações após conversar com Anderson. De acordo com ele, que deu entrevista ao Sportv, o brasileiro nega o uso de esteroide anabolizante e vai pedir uma contra-prova do exame.

Tannure disse que Anderson está muito decepcionado por causa da notícia: “ele alega não ter feito o uso e, antes de se pronunciar, vai esperar terminar esse processo, que está em andamento”. O médico disse que Anderson quer provar sua inocência no caso.

Tannure também comentou sobre o que pode ter acontecido de errado no exame. Segundo o médico, existe a possibilidade de um erro no laboratório e ainda é preciso esperar mais resultados: além da contra-prova, outros dois exames foram feitos posteriormente e também darão mais informações. Exatamente por isso a Comissão Atlética de Nevada ainda não se pronunciou – só divulgou o resultado no internet porque é obrigada por lei.

Nick Diaz

O técnico de Nick Diaz, derrotado na madrugada do último domingo, em Las Vegas, pediu para que o resultado da luta seja modificado. Para Cesar Gracie, o brasileiro se beneficiou com o uso de uma substância proibida para melhorar seu desempenho no combate.

“Na minha opinião é necessário que o resultado seja mudado, porque o cara usou drogas que o favoreceram na luta. Silva está com a idade mais avançada, mas se você precisa de anabolizante para lutar, então você não deve lutar”, declarou Gracie, em entrevista ao site americano TMZ.

A Comissão Atlética do Estado de Nevada atestou positivo no exame antidoping para o uso de metabólitos da substância proibida drostanolona, anunciado na última terça-feira. Nick Diaz, por usa vez, foi pego no exame por uso de maconha. Cesar Gracie saiu em defesa de seu lutador e avisou que a substância encontrada no norte-americano não faria o mesmo efeito que as usadas pelo brasileiro.

“Qualquer um que tenha um pouco de cérebro sabe que maconha não aumenta a performance”, completou.

O embate contra Diaz, pelo UFC 183, foi cercado de expectativa por conta da ausência de mais de um ano de Anderson no octógono. O ex-campeão dos pesos-médios fraturou o tornozelo esquerdo na luta em que buscava recuperar o cinturão diante de Chris Weidman, realizada em dezembro de 2013.

Silva e Diaz serão julgados pela Comissão Atlética de Nevada, nos Estados Unidos, no dia 17 de fevereiro.