ASSASSINATO: Após três anos, policial que matou primo da cantora Ju Moraes é julgado

Fonte: Da redação

Crédito da Foto: Reprodução internet

Teve início, na manhã desta quarta-feira (30/3), no fórum Ruy Barbosa, o julgamento do ex-investigador da Polícia Civil Jansen Alves Nascimento. Em julho de 2013, após uma confusão num bar no bairro do Imbuí, Jansen assassinou o jovem Leonardo Moraes de Almeida, de 33 anos, primo da cantora Ju Moraes.

No dia do crime, o policial civil estava de folga. Jansen Alves atirou contra Leonardo e um amigo dele, Lucas Urpia Almeida, de 19 anos, após uma discussão no local. As vítimas foram socorridas para o Hospital Geral Roberto, mas Leonardo não resistiu aos ferimentos. Na época, três dias após cometer o homicídio, o então policial civil, que atuava na 2ª Delegacia Territorial, no bairro da Lapinha, foi preso.

Meses depois ao ocorrido, o Governador Rui Costa anunciou a demissão do então investigador, fundamento no art. 4º da Constituição Estadual, “que estabelece infração disciplinar, punível com a pena de demissão, a prática de violência, tortura ou coação contra cidadãos por agentes estaduais ou municipais”. O artigo 90 da Lei Estadual nº 11.370 também respaldava juridicamente o decreto de demissão, conforme o governo. De acordo com a legislação, o crime cometido por Jansen Alves o tornava incompatível para o exercício da função policial.