Campanha de vacinação contra influenza começa segunda-feira em Salvador

Fonte: Da redação

A 17ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza será iniciada na próxima segunda-feira (04). A estratégia de imunização, que seguirá até o próximo 30 de maio, tem como meta de vacinar em Salvador 80% das mais de  615 mil pessoas que compõe o público alvo: idosos (a partir de 60 anos), crianças (de 6 meses a menores de 5 anos), gestantes, puérperas (mulheres que ganharam bebê nos últimos 45 dias), trabalhadores de saúde do serviço público e privado, portadores de doenças crônicas e população privada de liberdade.

Durante a semana, a vacinação será realizada das 08 às 17 horas nos postos de saúde da atenção básica da rede municipal. Também serão feitas intensificações em asilos, domicílios de idosos acamados, creches, hospitais, maternidades, delegacias e penitenciárias.

 Já no Dia D, que acontece no sábado (09), além do funcionamento das unidades tradicionais, a Secretaria Municipal da Saúde instalará pontos de vacinação em áreas de grande circulação de pessoas como shoppings, supermercados, igrejas e escolas, ampliando o acesso da população.

A imunização é a principal medida preventiva da enfermidade que interferem no desenvolvimento das atividades rotineiras das pessoas, garantindo-lhes qualidade de vida, bem-estar e inclusão social, podendo reduzir em até 45% o número de hospitalizações por pneumonias e até 75% a mortalidade global por complicações da influenza. Em 2014 foram registrados 67 casos da doença em Salvador.

 Transmissão: A influenza é uma infecção viral que afeta o sistema respiratório, mais precisamente o nariz, garganta e brônquios. O contágio ocorre de forma direta, por meio das secreções das vias respiratórias da pessoa contaminada ao falar, tossir, espirrar ou de forma indireta, pelas mãos, que após contato com superfícies recém-contaminadas por secreções respiratórias podem levar o agente infeccioso direto à boca, aos olhos e ao nariz. Como o vírus sobrevive no meio ambiente (mãos, tecidos, superfícies porosas etc.), por tempo variável, a transmissão por meio de contato com superfícies contaminadas pode ser evitada através de práticas simples de higiene como lavar as mãos e arejar o ambiente. O período de transmissibilidade pode variar de 24 horas antes a 7 dias depois do início dos sintomas. Apesar da transmissão entre os seres humanos ser a mais comum, já foi documentada a transmissão direta de animais (aves e suínos) para o homem.