Estrada das Barreiras: “o criminoso que quiser enfrentar a polícia terá a resposta à altura”, diz secretário

Fonte: Da Redação

Os policias da Rondesp cumprindo atendimento de uma ocorrência suspeita, próximo a uma agência bancária, na Estrada das Barreiras, bairro do Cabula, em Salvador, na madrugada desta sexta-feira (06) foram recebidos a tiros por cerca de 30 homens. No tiroteio 12 pessoas foram mortas e cinco ficaram feridas sendo levadas para o Hospital Roberto Santos, incluindo um PM que foi atingido por um disparo de raspão na cabeça, mas que passa bem e já recebeu alta.

Um policial Civil declarou agora há pouco para a nossa equipe que mais uma das vítimas veio a óbito. O rabecão está no local para fazer a retirada do corpo,  mas a assessoria do hospital não confirma essa informação.

Sobre o ocorrido o Secretário de Segurança Pública, Maurício Teles Barbosa se pronunciou nesta manhã durante o evento “Operação de segurança para o Carnaval”, no Hotel Pestana. “Os nossos policias em situação de enfrentamento não vão ficar parados”, afirmou, Teles.

A Secretaria da Segurança Pública (SSP) apresentará às 16h desta sexta-feira, na sede da instituição, no Centro Administrativo da Bahia (CAB), o resultado da operação policial realizada na localidade da Estrada das Barreiras, no Cabula.

Confira o áudio na íntegra 

Entenda o caso 

De acordo com informações do Departamento de Comunicação Social da PM-BA, o ocorrido envolveu três guarnições da Rondesp Central e duas da 23ª CIPM (Tancredo Neves) estavam averiguando uma situação suspeita e ao chegar ao local foram recebidos a tiros por homens fortemente armados, trajando uniformes do Exército na localidade conhecida como Vila Moisés. Ao todo 16 pessoas foram baleadas.

Uma equipe do programa “Que Venha o Povo” – QVP ficou de plantão no hospital para acompanhar o estado de saúde dos feridos e acabou falando com dois familiares das vítimas. Uma familiar que não quis se identificar disse que o neto  Natanael dos Santos de 17anos,   estava na casa da namorada quando saiu para ver o ocorrido somente de bermuda e acabou sendo baleado. “ele era inocente, não tinha nenhum envolvimento e acabou sendo baleado”, em prantos disse.

Outra familiar relatou muito nervosa na porta da unidade médica que o primo também foi baleado e que não estava envolvido. “que polícia é essa que chega matando e depois pergunta?” indagou a mulher bastante nervosa.

Inclusive familiares das vítimas estão em frente ao hospital tentando saber as identidades dos feridos e o estado de saúde, mas até a publicação desta matéria eles permanecem sem esclarecimentos da unidade hospitalar.