Protesto de centrais sindicais deixa população sem ônibus no início da manhã desta quarta-feira

Fonte: Da redação

Crédito da Foto: reprodução/Facebook

Acompanhando o movimento nacional, centrais sindicais e movimentos populares da Bahia realizam paralisações e atos de rua na capital nesta quarta-feira (15). O Dia Nacional de Mobilização é organizado pela Central Única dos Trabalhadores (CUT), em protesto contra o projeto de lei 4330 da Terceirização, que regulamenta os contratos de terceirização no setor privado e para as empresas públicas, de economia mista, suas subsidiárias e controladas na União, nos Estados, no Distrito Federal e nos municípios. Uma caminhada do Campo Grande até Praça Municipal está marcada para às 15h.

Os estudantes da rede estadual e municipal de ensino não terão aulas. O Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia (APLB) defende a aprovação do Plano Estadual e dos Planos Municipais de Educação e o cumprimento da pauta de reivindicações da categoria, além da proposta de aumento de 8,75% para os professores da rede pública, sem abrir mão do reajuste linear, que é de 6,41%.

O Sindicato dos Rodoviários também vai participar do movimento. Segundo uma fonte da categoria, os trabalhadores  vão permanecer nas garagens das 4h às 8h. Além de acompanharem a mobilização contra a PL 4330, os trabalhadores reivindicam melhora na segurança pública por conta dos recentes ataques a ônibus em Salvador.

O Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Estado da Bahia (Sindsaúde-Ba) e o Sindicato dos Médicos do Estado da Bahia (Sindimed-Ba) realizam paralisação de 24h. Os trabalhadores do setor rejeitaram a proposta decidida em plenária promovida pela Federação dos Trabalhadores Públicos do Estado da Bahia -FETRAB, de reajuste parcelado, apresentada pelo governo do estado com percentuais de 3,5% retroativo a março e o restante 2,91% em novembro.

Durante a paralisação serão suspensos os atendimentos ambulatoriais das unidades, com permanência apenas dos serviços de urgência e emergência. A concentração da mobilização será na Assembleia Legislativa com caminhada até a Governadoria, a partir das 9h. O Sindsaúde-Ba realizará nova assembleia dos servidores da SESAB na sexta feira, 17/4, no auditório do Sindicato dos Bancários quando a categoria definirá os rumos do movimento. Já os médicos, definirão, em breve, a data para nova assembleia.

O movimento também deve atingir categorias como dos Petroleiros, Químicos, Petroquimicos, Metalúrgicos, Construção Civil, Sindicatos Rurais, Assalariados Rurais, Bancários, Comerciários, Limpeza e Conservação, Vigilantes, Polícia Civil, Correios, Previdênciarios, Trabalhadores do Judiciário, etc.