Chef-galã, Igor Martins afirma que sua eliminação foi injusta

Fonte: SBT

Crédito da Foto: Divulgação

Igor Martins, um dos chefs-galãs da segunda temporada do “Cozinha Sob Pressão”, é o segundo homem eliminado do programa.

Apesar de terem vencido o último desafio, os rapazes não conseguiram manter-se à frente das mulheres. Durante o jantar, o problema de Igor foi com um pequeno laço que deveria ser dado para fechar o fagottini (massa em forma de trouxinha).

“Não consegui dar o laço e acabei indo para outra praça no meio do serviço, sem saber o que eu ia fazer”, relatou ele, logo após a eliminação.

Depois do percalço, Igor ficou encarregado do peixe e acredita que realizou um bom trabalho nessa praça. Frustrado, o chef lamenta a decisão de Carlos Bertolazzi. “Ele não disse nada sobre o serviço do peixe, só falou sobre eu não ter conseguido fazer o laço. Eu sei que não ia conseguir fazer o laço, não adianta. Eu não consigo dar nó nem no cadarço do sapato”.

Igor acredita que a eliminação foi injusta, pois diz que a tarefa era muito difícil para ser realizada individualmente: “Numa cozinha profissional com certeza teria mais alguém comigo na praça, para que uma pessoa segurasse a trouxinha e a outra desse o nó. O problema foi segurar a trouxinha e dar o nó com uma mão só”, comenta.

Além disso, ele acredita que sua atuação no programa deveria ter sido avaliada como um todo. Ele relembra que pontuou em todos os desafios, faturou dois fogões na prova da feijoada e realizou um bom trabalho após ter sido realocado durante o jantar.

“Peguei outra praça no meio do caminho, sem saber em que pé andavam as coisas, e acabei fazendo um bom trabalho. Se eu tivesse me desesperado, nem conseguiria ter soltado o peixe. Modéstia à parte, eu fiz um bom serviço ali e nenhum peixe voltou”, avalia.