Chuva deixa famílias desabrigadas e trânsito congestionado em Salvador

Fonte: Da Redação

Crédito da Foto: Izadora Florentino / Rua Luan Braga - Pirajá

Ruas alagadas, trânsito lento e famílias desabrigadas são algumas das situações que se repetem depois de mais uma madrugada e início de manhã chuvosos, nesta quarta-feira (06), em Salvador. O mau tempo que começou na última segunda-feira (04) deve permanecer, segundo o instituto Climatempo, até a próxima sexta (08).

O bairro de Pirajá, um dos mais atingidos, ficou com ruas totalmente alagadas e muitos moradores da região tiveram de deixar suas casas em busca de um abrigo seguro. Na Rua Luan Braga, inclusive, algumas famílias ficaram ilhadas sem poder sair de casa. Segundo a Defesa Civil de Salvador(Codesal), a situação em Rio Sena, no Subúrbio, não foi diferente: lá choveu  cerca de 24mm,  durante seis horas, e muitas famílias, também, tiveram prejuízos.

aratuonline rua alagada piraja

Foto: Izadora Florentino / Bairro de Pirajá

Nesta manhã, a situação no trânsito da capital baiana é de muita cautela. Motoristas conduzem seus veículos com velocidades reduzidas e faróis acesos para aumentar a segurança, por conta dos trechos alagados e visibilidade dificultada. Nas proximidades do Dique do Tororó o condutor de um táxi perdeu o controle da direção e subiu na calçada, mas, felizmente, não causou vítimas.

A Codesal informou que até as 7h24, desta quarta, o órgão tinha recebido seis solicitações de emergência. Foram um alagamento de imóvel, duas ameaças de desabamento de imóvel, duas ameaças de deslizamentos de terra e uma infiltração. Não há registro de feridos. A Defesa Civil permanece com o plantão 24 horas atendendo às solicitações pelo telefone gratuito 199.​

A temperatura prevista para esta quarta-feira varia entre 20ºC e 29ºC, com umidade relativa do ar oscilando de 78% a 97%, com ventos de velocidade média em torno de 4km/h. Desde segunda-feira, técnicos das secretarias envolvidas com a manutenção da cidade e assistência social, trabalham para minimizar a situação da população atingida pelas chuvas.

Promoção Social – De acordo com a Secretaria Municipal de Promoção Social e Combate à Pobreza (Semps), 107 famílias que tiveram suas casas alagadas estão recebendo total assistência do município. Uma equipe da Semps realiza o cadastro socioeconômico das famílias residentes na comunidade Osório Villas-Boas, no bairro de Pirajá, e que estão alojadas em um galpão da Prefeitura no bairro.

A partir deste cadastro, as famílias terão acesso a um auxílio emergencial, que pode variar de um a três salários mínimos. Além do auxílio financeiro, a Semps também fornece para os desabrigados alimentação, serviço de psicologia, colchões e cobertores para as famílias que optaram por ficar alojadas em um galpão.

Manutenção – De acordo com a Secretaria de Manutenção (Seman), foram registradas até o momento 30 ocorrências relacionadas a quedas de galhos (diversos portes) em diferentes pontos da cidade, por conta da chuva e do vento forte que atinge Salvador. Entre os locais mais atingidos estão Avenida Sete de Setembro, Corredor da Vitória, Avenida Antônio Carlos Magalhães e Avenida San Martin.

Para reparar os danos provocados pelo mau tempo, a pasta realiza ações como limpeza de caixa de drenagem e passagem, Operação Tapa Buraco nas principais avenidas de Salvador, além de vistoria em todos os pontos de entrada de canais. As atividades fazem parte de um conjunto de ações preventivas realizadas rotineiramente pela Seman.

“São 10 equipes envolvidas em plantão de 24h, sendo seis diurnas e quatro noturnas. Estamos trabalhando incessantemente para garantir aos soteropolitanos o mínimo possível de transtornos e impactos provocados pela chuva”, afirmou o secretário da Seman, Marcílio Bastos. Qualquer ocorrência relacionada à chuva deve ser comunicada através dos números 199 (Codesal) ou 156 (Fala Salvador).