Com 80 famílias desabrigadas, Santo Amaro recebe apoio da Defesa Civil e da Secretaria de Saúde

Fonte: Da redação

Crédito da Foto: Divulgação Polícia Militar

Com cerca de 80 famílias desabrigadas, após as fortes chuvas que elevaram o nível do Rio Subaé na madrugada do último sábado (11), o município de Santo Amaro, localizado a 81 km de Salvador, está sob monitoramento da Superintendência de Proteção e Defesa Civil (Sudec), que mantém uma equipe no local. Em contato com o Aratu Online, o superintendente Rodrigo Hita informou que o órgão acompanha a situação de perto. “Verificamos como está a cidade e auxiliamos a prefeitura. Foi solicitada a doação de alimentos e cestas básicas já estão chegando para estas pessoas. Além disso, uma equipe da Secretaria de Saúde chegou na manhã deste domingo, por conta do risco de doenças”.

Santo Amaro nova 2

Foto: Divulgação Polícia Militar

De acordo com Hita, o Corpo de Bombeiros também atua em Santo Amaro, mas não houve registro de vítimas. Os desabrigados foram levados para a Escola Estela Mutti, onde recebem assistência. A tendência é que a situação melhore nos próximos dias, já que, segundo ele, as chuvas deram uma trégua. “O tempo melhorou em Santo Amaro. Funcionários da Embasa atuam com um caminhão para retirar água das áreas mais críticas, em uma tentativa de organizar o processo”, afirmou.

Santo Amaro

Foto: Reprodução Facebook

O órgão registrou problemas também no município de Amargosa, que sofre desde a última quarta-feira (8), quando choveram 112 mm em apenas três horas. Cinco famílias foram desalojadas, tendo que se abrigar em casas de parentes amigos. Representantes da Sudec e da prefeitura local se reuniram na última sexta-feira (10), para definir as ações a serem tomadas. “Estamos trabalhando para agilizar o conserto das estradas, que ficaram prejudicadas com esta situação”, diz Hita.

Em Candeias, a prefeitura solicitou da Sudec a distribuição de lonas para áreas que abrigam casas com riscos de deslizamento. São cerca de 300, segundo dados oficiais. Por conta da geografia do município, cheia de morros e barrancos, a cidade é alvo de atenção constante em períodos de fortes chuvas.

Outro município que amanheceu com ruas e bairros alagados neste domingo (12),  foi Feira de Santana. Não há registro de vítimas e, de acordo com a assessoria da Sudec, o município não solicitou a ajuda do órgão.