Com demora nas obras, Embasa tenta implantar rede de distribuição alternativa para Salvador

Fonte: Da redação

Crédito da Foto: Divulgação Embasa

A Embasa informou em nota que o serviço de recuperação da adutora danificada pelas obras do metrô na BR-324 não foi concluído no tempo previsto neste domingo, dia 05, devido ao risco de desmoronamento de terra no local da intervenção, a 11 metros de profundidade. Com isso a empresa, com apoio da CCR Metrô, tenta implantar uma rede de distribuição alternativa, de 500 metros de extensão e 1,5 metro de diâmetro, para garantir a retomada do abastecimento das áreas afetadas pelo incidente o mais breve possível.

Além de ter reforçado a produção de água da estação de tratamento da Bolandeira, a empresa informou que neste domingo foi ampliada a frota de carros-pipa de forma emergencial, com prioridade para hospitais e postos de saúde. Até o restabelecimento do serviço, a população deve continuar a economizar água.

De acordo com presidente da Embasa, Rogério Cedraz, cinco frentes, com cerca de 270 técnicos e operários da empresa e da CCR Metrô, estão atualmente, trabalhando para implantar a nova adutora. “Desde quarta-feira, 1º, trabalhamos com duas possibilidades independentes: a primeira, consertar a adutora danificada e a segunda, implantar uma nova rede de distribuição. Como o terreno mostrou-se instável e por uma questão de segurança dos trabalhadores, estamos concentrando nossos esforços na conclusão dessa linha paralela”, explica.

“Esse é um momento em que precisamos da colaboração da população no sentido de economizar água. É um serviço de manutenção de alta complexidade. Estamos buscando mais carros-pipa de municípios vizinhos para auxiliar nesse momento”, ressalta Cedraz.

A adutora principal é uma das principais tubulações que alimentam o sistema da capital, levando água da Estação de Tratamento Principal, em Candeias até o Centro de Reservação do Cabula, o maior do município. Com a interrupção da adutora, o sistema teve uma redução na vazão de água tratada distribuída e está afetando o fornecimento de água em cerca de 60% da cidade.

Confira abaixo a relação de bairros/localidades de Salvador que podem ser afetados:

Alto das Pombas, Av. Centenário, Av. Garibaldi, Av. Vasco da Gama, Barra, Calabar, Av. Centenário, Chame-Chame, Av. Garibaldi, Ondina, Barra Avenida, Campo Grande, Canela, Engenho Velho da Federação, Federação, Gamboa, Garcia, Graça, Jardim Apipema, Rio Vermelho, Vitória, Amaralina, Candeal, Chapada, Cidade Jardim, Cidadela, Horto Florestal, Iguatemi, Itaigara, Nordeste de Amaralina, Parque Bela Vista, Pituba, Santa Cruz, Vale das Pedrinhas.

Calçada, Comércio, Baixa de Quintas, Baixa dos Sapateiros, Av. Djalma Dutra, Dois Leões, Estrada da Rainha, Santo Agostinho, Sete Portas, Barbalho, Caixa D´água, Iapi, Lapinha, Liberdade, Macaubas, Nazaré, Pau Miúdo, Pero Vaz, Santo Antônio, Saúde, Sieiro, Barroquinha.

Centro, Centro Histórico, Jardim Baiano, Tororó, Acupe de Brotas, Alto do Saldanha, Av. Barros Reis, Boa Vista de Brotas, Av. Bonocô, Brotas, Campinas de Brotas, Cidade Nova, Cosme de Farias, Daniel Lisboa, Engenho Velho de Brotas, Loteamento Santa Tereza, Luis Anselmo, Matatu, Av. Ogunjá, Santo Agostinho, Vila Laura.

Bonfim, Monte Serrat, Mares, Boa Viagem, Jardim Cruzeiro, Lobato, Caminho de Areia, Baixa do Fiscal, Ribeira, Massaranduba, Roma, Uruguai, Joanes Leste, Vila Rui Barbosa, São Caetano, Boa Vista do São Caetano, Capelinha, Alto do Peru e Fazenda Grande do Retiro, Curuzu, Santa Mônica, Guarany, Largo do Tanque, San Martins, Bom Juá, Retiro, Pernambués, Arraial do Retiro, Engomadeira, Saramandaia, Cabula, Resgate, Tancredo Neves, Doron, Saboeiro, Narandiba, Arenoso, Santo Inácio, Calabetão, Mata Escura, Sussuarana, Barreiras e São Gonçalo.