Defesa entra com pedido de libertação de Igor Kannário

Fonte: Da redação

Crédito da Foto: divulgação

O advogado do cantor Igor Kannário, Vinícius Santos, informou no final da manhã à equipe da TV Aratu que o pedido de liberdade provisória de seu cliente já foi solicitado à Justiça. Kannário está detido na Cadeia Pública do Complexo Penitenciário da Mata Escura, ala que serve como um centro de triagem e onde o artista está isolado de outros detentos. Segundo Santos, o pedido de libertação tem um prazo de 24h para ser avaliado pela Justiça. Em caso de decisão negativa, Kannário deve ficar por mais, no mínimo, cinco dias na unidade antes de ser transferido para a penitenciária.

Igor foi preso na tarde de ontem (07), com certa quantidade de maconha. Ele foi encaminhado na manhã desta quinta-feira (08) para o Departamento de Polícia Técnica (DPT), onde realizou exames de Corpo de Delito e, em seguida, foi encaminhado ao Núcleo de Prisão em Flagrante, no Complexo Penitenciário da Mata Escura, em Salvador.

Segundo informações do titular da 2ª Delegacia Territorial (Lapinha), Luiz Henrique Ferreira, o pagodeiro e um integrante de sua banda, João Pedro Laurentino, estão, agora, à disposição da Justiça. Quando interrogados na 2ª DT, os acusados afirmaram que a maconha seria usada para consumo próprio. Kannário e João disseram, também, que a droga, já encaminhada ao DPT, onde será verificada a sua quantidade exata, fora entregue a eles por um fã do cantor, que não teve o nome revelado.

A prisão dos acusados aconteceu na Rua Saldanha Marinho, no bairro da Caixa D´Água. Esta foi a terceira vez que o cantor, de 30 anos, se envolveu em problemas com a polícia. No dia 26 de Janeiro de 2014, ele foi detido por oficiais da 37º Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM/Liberdade), por realizar a gravação de um clipe no local sem a autorização da Prefeitura de Salvador. Em dezembro, também de 2014, Igor foi detido por dirigir sem a carteira de habilitação e estava com o IPVA do veículo atrasado desde 2012. Após esclarecimentos, ele foi liberado.