DIA DO TRABALHO: Especialista fala como a Inteligência Emocional pode ajudar um candidato ao emprego

Fonte: Da redação

Crédito da Foto: Divulgação

Em tempos de crise e de altos índices de desemprego o desenvolvimento da Inteligência Emocional pode ser uma forte aliada para conquistar a tão desejada colocação no mercado de trabalho. Com processos de seleção cada vez mais extensos e desafiadores esse auto- conhecimento pode ser bastante relevante na escolha do profissional para o cargo. Conforme a escritora e máster em PNL (Programação Neuro Linguística) e criadora do método Phases Thereza Ferreira o desenvolvimento da Inteligência Emocional pode melhorar a avaliação do candidato sobre o processo principalmente em caso de dinâmicas de grupo por justamente observar o contexto do que que vale mais e do que vale menos e não uma competição escolar. “A inteligência pode colocar esse candidato em evidência principalmente se na corrida por esta vaga houver dinâmicas em grupo. Uma vez que a inteligência lhe torna um ótimo observador de si e do outro”, garante ela.

Thereza Ferreira, que lançou em abril os livros Phases 1 (Da autodescoberta à Alta Performance) e o Phases 2 (Transformando Empreendedores em Empresários), bateu um papo com a redação do Aratu On Line e, além de falar sobre como autoconhecimento pessoal, sobretudo a Inteligência Emocional, pode auxiliar na conquista da vaga de trabalho e também nas relações trabalhistas dentro da empresa.

1. O que é inteligência emocional e quais os benefícios que ela traz para a vida do ser humano?
Thereza: Inteligência Emocional é a arte da sabedoria social. É você saber sobre suas emoções e como lidar com elas para manter equilíbrio no comportamento em todas as áreas da vida. Os benefícios vão desde a necessidade de superar algo até o trato com a saúde física, saúde mental, saúde espiritual, financeira e familiar.

2. Como profissional da área de PNL (Programação Neuro Linguística), como você vê a importância da inteligência emocional para um candidato a uma vaga de emprego?
Thereza: A inteligência pode colocar esse candidato em evidência principalmente se na corrida por esta vaga houver dinâmicas em grupo. Uma vez que a inteligência lhe torna um ótimo observador de si e do outro.

3. Uma vez já contratado, consegue listar os grandes benefícios que essa inteligência emocional, garante nas relações trabalhistas para o profissional dentro da empresa?
Thereza: Disciplina, espírito de equipe, foco, comunicação eficaz, escuta ativa e comprometimento com resultados por entender a missão do cargo, das atividades e principalmente de si dentro da empresa.

4. O país vive um momento muito crítico em relação à economia e política e, muitas pessoas sentem-se frustradas por terem planos falidos, conquistas que se tornaram distantes, entre outras decepções. Somos uma sociedade mentalmente doente?
Thereza: Podemos sim dizer que estamos doentes diante de tantas pressões vividas e da ausência das habilidades em como lidar com tudo isso. Estamos educando as crianças a não lidarem diretamente com o não. Devido a grande carga de trabalho, a maioria dos pais tem dito SIM para compensar essa ausência, por sua vez esses mesmos pais em outros momentos são líderes, são liderados, são empresários, professores ou servidores e como eles lidam com tudo isso em  cada campo a partir da pressão sofrida do mundo externo, inevitavelmente vai se abrindo uma ferida que por vezes pode ser mortal emocionalmente falando. É possível usar a inteligência emocional para conseguir passar por essa fase de forma mais branda? Não é só possível como necessário. Entender esse processo em várias etapas da vida é fundamental para passar pelas fases não de forma mais branda e sim de forma mais presente entendendo quais habilidades serão necessárias para passar e assim aprender como os sentimentos devem ser tratados.

5. Recentemente, você lançou os livros Phases 1 (Da autodescoberta à Alta Performance) e o Phases 2 (Transformando Empreendedores em Empresários), que trazem o comportamento de pessoas, em cada uma das fases e como esses comportamento levaram ao sucesso. Como foi construído esses livros e o qual a principal mensagem que eles deixam para os leitores?
Thereza: O livro foi construído baseado em experiências comportamentais minhas quanto de amigos, família, clientes e momentos possíveis de observação de comportamentos alheios. Trazer 17 anos de estudo sobre comportamento e inteligência emocional aliado a experiências identificados em 10 phases é para levar ao leitor a possibilidade de iniciar ou potencializar o olhar mais focado sobre si. Entender-se mais e usar esse conhecimento a seu favor levando assim o leitor a desenvolver comportamentos baseados em habilidade de alta performance assim atingirem o sucesso no campo desejado. Leva ao leitor uma base sólida para construir um plano de vida e carreira sem dor e consciente altamente eficiente e fácil. Tudo isso a partir do simples ato de desenvolver a INTELIGÊNCIA EMOCIONAL.