Estrada das Barreiras: polícia confirma que apenas duas pessoas tinham passagem

Fonte: Da redação

Crédito da Foto: Ana Manuela/TV Aratu

A assessoria da Polícia Civil confirmou que apenas duas pessoas envolvidas na ação na Estrada das Barreiras, na última sexta-feira (6), tinham passagem pela polícia. Como antecipado pelo jornal Massa! somente Evson Pereira dos Santos, 26 anos, e uma das vítimas fatais, tinham registros por brigas no Carnaval em 2010 e 2011. O número vai de encontro à informação inicial, que apontava que nove dos envolvidos na suposta troca de tiros com os policias possuíam antecedentes criminais.

Apesar disto, a assessoria da Polícia Civil esclareceu que isto não significa dizer que os outros homens envolvidos na ação sejam inocentes. Os investigadores têm tido muitas dificuldades com homônimos, ou seja, nomes que possuem a mesma pronúncia, mas são escritos de formas diferentes, fato que dificulta o trabalho. Além disso, informações extraoficiais, colhidas no local onde aconteceram os fatos, apontam para um número maior de pessoas envolvidas com o crime organizado na região. Por isso, a pesquisa e investigação continuam.

Ainda de acordo com assessoria da Polícia Civil, o número total de pessoas feridas durante a ação subiu para 18, já que dois homens procuraram os Hospitais do Subúrbio e São Rafael, horas após o “confronto”, apresentando ferimento à bala. Um deles teve o mandado cumprido na unidade médica e o outro conseguiu escapar e está sendo procurado pelas autoridades. Com isso, são 12 vítimas fatais e outras seis feridas, entre elas um adolescente.

O Governo do Estado informou, na noite de terça-feira (10), que segue acompanhando as investigações sobre a operação policial no bairro do Cabula, em Salvador. Um grupo composto por representantes de movimentos sociais, da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-BA) e da Defensoria Pública do Estado participou de uma reunião com a secretária estadual de Promoção da Igualdade Racial, Vera Lúcia Barbosa, e o secretário de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social, Geraldo Reis. O encontro foi realizado na sede da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS), no Centro Administrativo da Bahia (CAB).