‘FAKE’: Sesab rebate boato sobre aparecimento de nova espécie de cobra em Itaparica

Fonte:

'FAKE' Sesab rebate boato sobre aparecimento de nova espécie de cobra em Itaparica

Crédito da Foto: Reprodução

Do Alta Pressão Online, parceiro do Aratu Online 

Nas redes sociais, o assunto rendeu e, inclusive, gerou temor em muitos moradores da Ilha de Itaparica. A polêmica girava em torno de uma nova espécie de cobra, que estaria levando risco à banhistas da região. No entanto, o Centro de Informações Antiveneno (Ciave), órgão da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) referência em toxicologia, emitiu um alerta para rebater o boato.

LEIA MAIS: FAXINA NATURISTA: Diarista cobra R$ 175 para limpar residências totalmente nua

Segundo Jucelino Nery, farmacêutico do Ciave e coordenador do Programa de Acidentes por Animais Peçonhentos na Bahia, a notícia é “fake”, ou seja, uma notícia falsa. De acordo com o órgão, o vídeo divulgado nas redes mostra uma víbora do Deserto do Saara, inexistente no Brasil.

Além disso, a Sesab informa que os serviços de vigilância epidemiológica dos municípios de Itaparica e Vera Cruz não registraram o suposto aparecimento da cobra. Em caso de picada por qualquer animal peçonhento, a orientação é a de que a vítima seja  encaminhada para uma unidade de saúde para o tratamento adequado, alertando que não se deve passar nada além de água e sabão no ferimento, e muito menos usar torniquete, fazer cortes ou sugar o local da picada. O Ciave conta com uma equipe de plantão 24 horas por dia, que pode ser contatada através do número 0800 284-4343.

LEIA MAIS: ÚLTIMO LANCE: “Pode ter evitado algo maior”, diz Nonato sobre gol perdido dez anos após tragédia

LEIA MAIS: NA CADEIA: Polícia prende integrantes de uma quadrilha envolvida em um sequestro na região da Chapada

LEIA MAIS: ÚLTIMO LANCE: “Sinto mais nada pelo clube”, diz sobrevivente de tragédia na Fonte dez anos depois

Acompanhe nossas transmissões ao vivo e conteúdos exclusivos no www.aratuonline.com.br/aovivo e no facebook.com/aratuonline.