Google homenageia médico que desenvolveu exame de papanicolau

Fonte: Da redação

Crédito da Foto: Reprodução/Google

Quem fez alguma pesquisa no Google, nesta segunda-feira (13/5), notou que o Doodle – versão especial do logotipo do buscador -, homenageia o aniversário do médico grego Georgios Papanikolaou, nascido em 1883. Foi ele que desenvolveu, junto com a esposa (e assistente), Andromachi Mavroyenis, o principal teste de detecção precoce de colo de útero, que hoje leva seu nome: exame de Papanicolau. Sim. Aquele que deve ser feito, se possível, ao menos uma vez por ano.

HISTÓRIA

Em 1914, um ano após a chegada do casal aos Estados Unidos. Ainda sem trabalhar como médico, ele foi contratado pelo departamento de Anatomia da Universidade de Cornell, em Nova York, como pesquisador. Já Mavroyenis foi para o mesmo local, como técnica e, às vezes, alvo dos experimentos realizados ali.

O novo método surgiu enquanto Georgios estudava células cancerígenas no útero de porquinhos-da-índia. Na época, os animais precisavam ser sacrificados para a coleta de óvulos antes da ovulação. Contudo, ele era contra o sacrifício das cobaias e começou a estudar uma outra alternativa para extrair as amostras necessárias sem ter que matá-los.

LEIA MAIS: Justiça determina quebra de sigilo bancário e fiscal de Flávio Bolsonaro e Queiroz

Assim, por meio das suas pesquisas, o médico desenvolveu um método capaz de coletar os óvulos observando o ciclo menstrual das porquinhas. Usando um pequeno espéculo, um instrumento que dilata o canal vaginal, Georgios conseguiu acessar o colo do útero dos animais e coletar o material a ser estudado sem recorrer ao sacrifício.

Depois de anos de estudo e aperfeiçoamento do método, o médico e sua esposa (e assistente) passaram a testar o novo exame em mulheres. Uma delas, amiga do casal, foi diagnosticada por ele com câncer cervical, um tumor maligno que atinge o colo do útero.

“O sucesso científico da dupla ocorreu após recrutarem um grupo de amigas suas para participarem de um estudo que envolvia o exame de Papanicolaou”, diz o Google ao explicar a homenagem ao grego. “”No estudo, Papanicolaou detectou células malignas em uma das amostras, o que levou ao diagnóstico de câncer para uma amiga de sua mulher.”

O “exame de papanicolau”, como ficou conhecido, era comprovadamente mais simples, rápido, menos invasivo e mais eficaz na detecção de tumores e doenças sexualmente transmissíveis do que os métodos utilizados até então. Com o feito, Georgios Papanikolaou foi indicado duas vezes ao Prêmio Nobel e ganhou o Prêmio Albert Lasker de Pesquisa em Medicina Clínica em 1950.

BRASIL

O exame, também conhecido como “Pap”, está disponível na rede pública brasileira. Segundo o Ministério da Saúde, toda mulher que tem ou já teve vida sexual deve submeter-se ao exame preventivo periódico, especialmente as que têm entre 25 e 59 anos. A recomendação é de que, inicialmente, o exame seja feito anualmente. Após dois exames seguidos (com um intervalo de um ano) com resultado normal, pode ser feito a cada três anos.

Para garantir um resultado mais eficaz, a mulher não deve ter relações sexuais nos dois dias anteriores ao exame e evitar o uso de duchas, medicamentos vaginais e anticoncepcionais locais nas 48 horas anteriores à realização do exame. É importante também, que não esteja menstruada, porque a presença de sangue pode alterar o resultado. Mulheres grávidas podem fazê-lo, sem prejuízo para sua saúde ou a do bebê.

LEIA MAIS:  Veja lista de vagas de emprego e estágio em Salvador para terça-feira

Acompanhe nossas transmissões ao vivo e conteúdos exclusivos no www.aratuon.com.br/aovivo. Nos mande uma mensagem pelo WhatsApp: (71) 99986-0003.