Homem linchado em Lauro de Freitas por estupro pode ter sido confundido, diz delegada

Fonte: Dinaldo dos Santos e Jean Mendes

Crédito da Foto: leitor/Aratu Online

Luiz Carlos Lima, 58 anos, o homem linchado em Lauro de Freitas, na Região Metropolitana de Salvador, após ser apontado como o autor de estupro contra uma jovem, pode ter sido confundido. A informação foi dada nesta terça-feira (11/9) pela titular da Delegacia Territorial de Portão (DT), Andrea Barreto Arrais, que conduz as investigações desde o registro do crime, na segunda-feira (10/9).

LEIA MAIS: Homem de 58 anos é linchado após ser acusado de estuprar jovem em Lauro de Freitas

Segundo a delegada, Luiz foi condenado pelo crime e cumpriu pena de sete anos por ter abusado duas menores de idade no ano de 1989. Depois que saiu do presídio, estava vivendo normalmente na localidade conhecida como Pé Preto, em Portão, até ser espancado. A polícia acredita que esse histórico pode ter contribuído para as acusações e agressões que resultaram na sua morte.

A suspeita desse novo crime, a princípio, não recai sobre Luiz, mas sobre o padrasto da vítima, uma adolescente de 13 anos. O caso só foi descoberto pela diretora da escola onde a menina estuda. Depois da denúncia na delegacia, ele conseguiu escapar. “O padrasto [da jovem] tem um filho de três anos com a mãe dela. Ao saber da denúncia, ele fugiu com o garoto, mas desistiu de levar a criança e entregou o menino para um mototaxista devolvê-lo”, pontuou Andrea.

A delegada informou ainda que já tem o nome de seis suspeitos do linchamento, sendo que três deles já foram identificados. Com a prisão deles, a Polícia Civil deve confirmar, ou não, a versão de que Luiz foi morto por engano.

ESPANCAMENTO 

Luiz Carlos Lima foi linchado no início da noite desta segunda-feira (10/9), por volta das 18h30. Segundo a Polícia Militar, testemunhas relataram aos policiais que estiveram no local que ele foi espancado por populares após ser apontado como o autor do estupro de uma jovem menor de 18 anos.

A vítima do linchamento foi espancado e levado para o hospital, mas não resistiu. Foto: divulgação/Sindimed

A guarnição, pontuou ainda a PM, não identificou os agressores e os familiares da suposta vítima de Luiz Carlos. Bastante machucado, ele foi levado pelos policiais ao Hospital Menandro de Faria, mas não resistiu aos ferimentos, morrendo na unidade de saúde.

Acompanhe nossas transmissões ao vivo e conteúdos exclusivos no www.aratuonline.com.br/aovivo e no  facebook.com/aratuonline