Idoso tem ataque cardíaco e morre após PM invadir sua casa; Polícia nega versão dos vizinhos

Fonte: Da redação

Crédito da Foto: ilustrativa/Camaçari Notícias

Um idoso identificado como João Batista Ramos, 63 anos, morreu vítima de ataque cardíaco após ter sua casa invadida por policiais militares em São Sebastião do Passé, Região Metropolitana de Salvador. A titular da delegacia local, Joana Angélica, disse ao Aratu Online que a sobrinha da vítima compareceu à unidade policial na noite de quinta-feira (7/7) e detalhou aos agentes o que teria acontecido.

A parente de Ramos, ainda segundo a delegada, disse que já encontrou seu tio sentado no sofá com dores no coração após agentes do Comando Independente de Policiamento Especializado (CIPE/Pólo Industrial) entrarem em sua casa buscando seu filho, suspeito de alguns crimes. No hospital, a vizinha da vítima confirmou a história.

Imediatamente, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) foi acionado, mas constatou que João já tinha morrido. Apesar disso, ele chegou a ser levado para o Hospital Albino Leitão, também em São Sebastião do Passé. O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) de Salvador e não há informações se já foi enterrado.

PM nega invasão

Por meio de nota, a corporação desmentiu a invasão e deu outra versão para o caso. Segundo a mesma, os agentes informaram ao comando da unidade que estavam realizando rondas na cidade. Após realizarem as incursões pelo bairro Alegre, conversavam com duas mulheres na porta de um bar.

Neste momento, relata ainda a PM, a conversa foi interrompida por um cidadão, da janela de sua casa, que relatou à equipe policial que o seu filho, envolvido com drogas, havia sido vítima de um atentado há alguns dias e que a casa onde moravam estava com as marcas dos disparos de arma de fogo.

A contradição das versões aparece aqui. A Polícia Militar conta que o idoso teria chamado os agentes a entrar no imóvel e apontou as marcas deixadas pelos disparos, inclusive na TV. Depois da saída dos policiais, a vítima voltou para dentro de casa e sentou no sofá, onde sofreu um mal súbito chamando a atenção de todos que estavam na frente da casa.

A guarnição, assim, chamou a SAMU e acompanhou o homem até a unidade de saúde. Os policiais constaram nomes de testemunhas que presenciaram toda a ação e, até o momento, não houve manifestação de pessoas da comunidade local contrapondo a versão apresentada.

A Corporação orienta que se alguma pessoa tiver informações que não sejam iguais à dos PMs utilize-se da Ouvidoria para formalizar este registro e, com isso, uma apuração possa ser motivada. Os canais são: 0800 284 0011 ou no site da Polícia Militar, clicando no link Ouvidoria.