Inquérito sobre morte do publicitário Daniel Prata é concluído e enviado ao Ministério Público

Fonte: Da Redação

Crédito da Foto: Reprodução/Facebook

A polícia concluiu nesta quarta-feira (16), o inquérito sobre a morte do publicitário Daniel Prata, ocorrida em 08 de novembro de 2014, após um acidente no bairro do Itaigara. O inquérito foi finalizado pela 16ª Delegacia Territorial (16ª DT/ Pituba) no início de setembro, mas apenas hoje foi divulgado pelos advogados envolvidos no caso.

A investigação policial aponta que o suspeito da morte do publicitário, o advogado e professor universitário Roberto João Starteri Sampaio Filho, cometeu homicídio doloso (quando há intensão de matar) contra Daniel, além de lesão corporal grave contra a médica Luciana Tavares, que também estava no carro e ficou ferida.

Imagens captadas por câmeras de segurança do local onde aconteceu o acidente foram utilizadas para a conclusão no inquérito. Elas mostram que o advogado dirigia o veículo com aproximadamente o dobro da velocidade permitida na via, enquanto imagens de uma outra câmera mostram Roberto embriagado ao sair de uma boate.

O inquérito foi encaminhado juntamente com o relatório da investigação policial ao Ministério Público da Bahia (MP-BA), que será responsável por realizar a denúncia em caso de acusação de homicídio doloso.

O Acidente

O publicitário estava em um veículo Hyundai Sonata quando foi atingido por Nissan Frontier conduzido pelo advogado, que capotou em seguida. Uma amiga de Daniel Prata, a médica Luciana Tavares, de Fortaleza, estava no carro e ficou gravemente ferida.

Na ocasião, ao ser abordado por policiais da 35ª Companhia Independente da Polícia Militar, Roberto João Starteri Sampaio Filho se recusou a fazer o teste do bafômetro, e foi autuado em flagrante com sinais de embriaguez.