João Santana – o amigo dos Vieira Lima que conta com a experiência a seu favor

Fonte: Da redação

Crédito da Foto: arquivo pessoal

***

O ex-ministro da Integração Nacional do governo Lula, João Santana (MDB), agora quer tomar a cadeira do petista Rui Costa nas eleições 2018. Candidato ao cargo de governador da Bahia, ele pretende inovar com seu plano de governo para o quadriênio 2019/2022. Veja suas propostas:

EDUCAÇÃO

  • Reformulação das instituições e qualificação permanente da estrutura física das unidades escolares em todos os níveis;
    Implantação de ensino técnico profissionalizante em turno integral regionalizado.

SAÚDE

  • Apoio e prioridade aos municípios de menor IDH;
    Reorganizar as estruturas de saúde do Estado, para promover a saúde e não apenas tratar as doenças;
    Reformular totalmente a regulação priorizando o imediato atendimento, através da rede publica e privada de emergência, nas capitais regionais, priorizando salvar vidas.

SEGURANÇA PÚBLICA

  • Retomada do conceito de policia comunitária e integrada;
    Seguro de vida para policiais em atividade, extensivo aos policiais da reserva;
    Eliminação das ingerências politicas nas promoções e nomeações.

***

DE MINISTRO A GOVERNADOR

Aos 74 anos, João Santana (MDB) abriu mão da vida tranquila para pleitear a vaga de governador. Segundo ele, não à toa. “Conheço os problemas da Bahia, região por região, localidade por localidade, pessoa por pessoa, então, eu sei como eu posso ajudar”, garantiu, durante participação na sabatina do Linha de Frente, no dia 14 de setembro.

Linha da Frente Eleições: Entrevista com o Candidato ao Governo da Bahia, João Santana (MDB)

Linha da Frente Eleições: Entrevista com o Candidato ao Governo da Bahia, João Santana (MDB)

Gepostet von Aratu Online am Freitag, 14. September 2018

Natural de Nazaré, João já foi ministro da Integração no segundo mandato de Lula, sucedendo o ex-deputado Geddel Veira Lima, preso acusado de praticar lavagem dinheiro e associado aos R$ 51 milhões encontrados em um apartamento no bairro da Graça, área nobre de Salvador.

Essa amizade entre os dois ex-ministros, inclusive, tem sido alvo de questionamentos por onde o candidato passa. “Sou amigo dos Vieira Lima e espero que tenham sorte com essa acusação, mas o MDB não somos só eu e Geddel,. Temos o Meirelles, que é uma pessoa qualificada e técnica, por exemplo, e outras centenas de políticos sérios pelo país”.

Os anos em Brasília, porém, o tornaram avesso ao mandato de Dilma Rousseff, a quem não vê como modelo de gestora.

***