Jornalista é suspeito de matar repórter e cinegrafista em cobertura ao vivo nos EUA

Fonte: Da Redação

Dois jornalistas de uma emissora americana do Estado da Virgínia foram mortos nesta quarta-feira (26), enquanto faziam uma entrevista que era exibida ao vivo pelo canal WDBJ7.

Nas imagens feitas pelo cinegrafista Adam Ward, de 27 anos, antes de morrer é possível escutar disparos de arma de fogo segundos antes de a câmera cair no chão. O equipamento também registrou imagens das pernas do atirador que matou a jornalistas Alison Parker, de 24 anos. O assassinato de Alison não foi filmado pela câmera, mas é possível escutar seus gritos depois de ser baleada.

O suposto atirador, é identificado como Vester Lee Flanagan 2º, de 41 anos, também é jornalista e usava o codinome de Bryce Williams como nome profissional. Flanagen já trabalhou como apresentador no canal WDBJ7, o mesmo de Parker e Ward, entre 2012 e 2013. Segundo informações da Polícia Americana, Vester está gravemente ferido e sob custódia.

Flanagen já havia processado seus ex-patrões da TV em 2000, na Flórida, alegando que sofreu abuso verbal por conta da cor de sua pele e que até foi chamado de “macaco” pelo ex-patrão. ele ainda acusou a repórter Alison Parker, uma de suas vítimas, de atos de racismo. Em sua conta no twitter com o nome de Bryce Williams, ele afirmou que a repórter havia feito “comentários racistas” e “mesmo assim, foi contratada”.

Durante a ação, o suposto atirador deflagrou mais de 10 tiros contra a repórter e o cinegrafista que ainda tentaram fugir, sem sucesso. Como se não bastasse, o suspeito filmou toda ação e postou em suas redes sociais do Twitter e Facebook, mas o vídeo foi retirado da internet.