Justiça anula decisão que inocentou PMs envolvidos na ação dos 12 mortos no Cabula

Fonte: Da redação

Crédito da Foto: Aratu Online

O Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) anulou o júri que inocentou os nove policiais militares envolvidos na operação que deixou 12 homens mortos no bairro do Cabula, em Salvador. A informação foi confirmada pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA) na manhã desta quarta-feira (5/9).

LEIA MAIS: ESPECIAL ‘DOZE’: Falhamos todos! As (meias) verdades que nunca saberemos da Vila Moisés

A ação aconteceu em fevereiro de 2014 na Vila Moisés, Estrada das Barreiras, e envolveu agentes da 23ª Companhia Independente (CIPM/Tancredo Neves) e da Companhia Independente de Policiamento Tático (CIPT/Rondesp Central), que alegam ter acontecido uma troca de tiros quando faziam uma ação na área.

O MP não deu detalhes do julgamento, que aconteceu na terça-feira (4/9), mas disse que deve se pronunciar sobre a anulação por meio de nota ou entrevista com os promotores responsáveis pelo caso, Davi Gallo e Luciano Assis. A assessoria do TJ-BA ainda não divulgou detalhes do julgamento.

CASO 

Era madrugada de 6 de fevereiro quando tudo aconteceu. À época, a polícia afirmou que os mortos seriam bandidos que estariam planejando um assalto a banco. Segundo a versão, eles foram alvo de uma operação que resultou em uma troca de tiros, motivada pela reação dos suspeitos. Do lado policial, um homem teria sido baleado de raspão.

Material supostamente encontrado com os suspeitos. Foto: divulgação/SSP

Em julho de 2015, a juíza Marivalda Almeida Moutinho, que substituía o responsável pela ação, Vilebaldo José de Freitas Pereira, que estava em seu período de férias, inocentou todos os militares. Os nove envolvidos na ação voltaram às ruas em março de 2015, antes da decisão judicial.

LEIA MAIS: Caso Cabula: após absolvição de PMs, mortes são denunciadas à Justiça internacional

Acompanhe nossas transmissões ao vivo e conteúdos exclusivos no www.aratuonline.com.br/aovivo e no facebook.com/aratuonline