PM liga mortes a tráfico e defende moradores de prédio no Pelourinho: “pessoas de bem”

Fonte: Da redação

Crédito da Foto: Aratu Online

Em um período de pouco mais de 40 dias, ações envolvendo criminosos ligados ao tráfico de drogas, resultaram em duas morte violentas e duas pessoas feridas, vítimas de disparos de arma de fogo, em um prédio do Centro Histórico de Salvador.

O Edifício Excelsior, que fica no Viaduto da Sé, foi o cenário dos crimes. Apesar das ocorrências, o local é habitado, em sua maioria, por pessoas de bem, garantiu nesta sexta-feira (11/1), em entrevista ao Aratu Online, o subcomandante do 18º Batalhão da Polícia Militar, major Jamerson Queiroz, responsável pelo policiamento ostensivo da área.

“Muitas pessoas de bem, sem teto, passaram a morar lá, só que os marginais aproveitam e se infiltram naquele local”, explicou. Segundo o oficial, existe um ponto de tráfico de drogas ali, mas a PM faz abordagens constantes para coibir o crime. “Não deixa de ser um incômodo para os moradores, mas se faz necessário”, considerou.

A ação mais recente no Excelsior ocorreu na tarde de ontem (10/1), quando dois homens foram baleados e mais dois foram presos durante uma briga entre membros de facções rivais.

LEIA MAIS: Briga entre facções no Centro Histórico resulta em baleado e presos

De acordo com o oficial, essa é uma situação pontual do tráfico na área do Centro Histórico. “Atualmente, o problema está controlado. Somente nas regiões periféricas, como Gravatá e Saúde, ainda acontece isso, mas a polícia tem feito muitas operações para reduzir o tráfico nesses locais. No Pelourinho, não tem mais”, garantiu.

Na madrugada do último dia 29 de novembro, duas pessoas foram encontradas mortas em áreas do mesmo edifício. As vítimas foram surpreendidas por homens armados dentro de um dos apartamentos. Na ocasião, uma guarnição do 18º BPM foi encaminhada ao local e constatou que um homem foi executado a tiros e outro morreu, após sofrer uma queda do sexto andar.

LEIA MAIS: Homem morre ao pular de prédio no Centro de Salvador após presenciar homicídio

Acompanhe nossas transmissões ao vivo e conteúdos exclusivos no www.aratuonline.com.br/aovivo e no www.aratuonline.com.br/livesNos mande uma mensagem pelo WhatsApp: (71) 99986-0003.