Moradores acusam guardas municipais de agressão na Ladeira da Preguiça; veja o vídeo

Fonte: Da redação

Moradores acusam agentes da guarda municipal de Salvador de ação violenta e agressão, durante a derrubada de um muro na Ladeira da Preguiça, na tarde desta quinta-feira (2). Nas imagens, enviadas ao Aratu Online, é possível ver dois homens sendo imobilizados, enquanto pessoas ao redor tentam impedir que eles sejam detidos.

Em nota, a Secretaria Municipal de Urbanismo (Sucom), informou que a ação foi motivada pela agressão de um homem, de prenome Marcelo, que teria desferido um soco no rosto de um dos agentes. O outro, não identificado, teria se envolvido na confusão, para evitar a sua prisão. Ainda de acordo com o texto, os agentes isolaram a área, para impedir que alguém se machucasse, mas que o perímetro foi respeitado por ambos. Confira a íntegra da nota:

Esclarecimento sobre ação na Ladeira da Preguiça

Em relação à ação na Ladeira da Preguiça, no Centro Histórico de Salvador, na tarde de hoje (02), a Secretaria Municipal de Urbanismo (Sucom) informa que foi realizada a demolição de um muro construído em área de propriedade da Santa Casa de Misericórdia, sem autorização dos órgãos competentes. O responsável pela construção foi notificado no dia 8 de setembro para demolir o muro. Como a medida não foi cumprida, fiscais da secretaria demoliram a construção, como previsto no Código de Obras do Município (Lei 3.903/88), que estabelece que toda e qualquer obra, particular ou pública, só pode ser iniciada após licença ou autorização da Prefeitura, que expedirá alvará, de acordo com a legislação.

A lei também prevê que obras iniciadas sem a devida licença, em áreas de domínio público ou que ofereçam iminente risco de desabamento, poderão ser demolidas pela Prefeitura. A ação na Ladeira da Preguiça aconteceu com o apoio da Guarda Municipal. Quando os agentes realizavam o isolamento da área, com intuito de garantir a execução do serviço e evitar que qualquer pessoa que passasse pelo local se machucasse com vestígio de concreto, um homem, de pré-nome Marcelo, tentou impedir a execução da demolição, sendo então alertado pelos guardas que não poderia ultrapassar a área demarcada para não se machucar com a demolição. Marcelo então desferiu um soco em um dos agentes, que buscou conter o agressor.

Após ser controlado e imobilizado pelos agentes um outro homem foi detido por tentar impedir a condução do agressor. Todos foram encaminhados para a UPA dos Barris, para atendimento, principalmente ao agente, agredido com um soco na altura do nariz. Posteriormente, os dois envolvidos na confusão serão encaminhados à Central de Flagrantes. Entretanto, a Superintendência de Segurança Urbana e Prevenção à Violência (Susprev) vai apurar se houve abuso por parte dos agentes da Guarda Municipal envolvidos na operação