Mosquito da família Aedes Aegypti chega à Bahia e pode transmitir até sete doenças

Fonte: Da redação

Crédito da Foto: reprodução / Wikipedia.en

A Secretaria Estadual de Saúde na Bahia, a Sesab, está realizando procedimentos para impedir a proliferação de um novo tipo de mosquito que chegou ao Estado. O Aedes Albopictus  é uma variação do Aedes Aegypti e pode estar chegando à Bahia em contêineres localizados em navios mercantes vindos da Ásia. Conhecido como “Mosquito Tigre”, o Albopictus  transmite sete doenças, além da tríplice viral que já atinge a Bahia de forma epidêmica (dengue, chikungunya e zika vírus). Entre as outras doenças que podem ser transmitidas estão a febre amarela, a febre do Nilo e a febre de Mayaro. Vale ressaltar que, para transmitir a doença, o mosquito precisa inicialmente contrair o vírus. Assim, doenças que o Aedes Albopictus transmite e que ainda não circulam na Bahia não representam um risco à população.

De acordo com o subsecretário da Saúde, Roberto Badaró, que também é infectologista, ainda neste mês equipes da Sesab irão começar a aplicar inseticidas nos contêineres que chegarem à capital baiana com o intuito de evitar a proliferação do mosquito, que é originário de regiões com savanas e florestas.

Pessoas que foram infectadas pela dengue, chikungunya ou pelo zika vírus podem desenvolver uma síndrome neurológica que pode causar paralisia e até levar à morte. De acordo com o último boletim atualizado pela Sesab, 48 casos da Síndrome de Guillain Barré já foram confirmados no Estado. Três mortes estão sendo investigadas. Incialmente o órgão havia divulgado um número maior de casos, mas alguns pacientes tiveram seus diagnósticos modificados.

Confira a matéria completa: