MP encaminha pedido de prisão preventiva para acusada de maus tratos a idosos

Fonte: da Redação

Crédito da Foto: Reprodução TV Aratu

Além de ser investigada pela Delegacia do Idoso (Deati), o Ministério Público (MP) também acompanha as denúncias contra Neuza Rodrigues Torres, de 53 anos, acusada de maus tratos a idosos em um abrigo de Salvador.

Ela teve o pedido de prisão preventiva encaminhado à Justiça e pode ser presa a qualquer momento. De acordo com o promotor do MP, Ulisses Campos, que integra o Grupo de Atuação Especial em Defesa do Direito dos Idosos, Neuza vinha sendo investigada há oito anos e responde por crimes de sequestro e abandono de incapaz.

A responsável pelo Grupo Assistencial Vida Saúde (GAVS) foi surpreendida por uma operação na manhã da última terça-feira (20), após denúncias do MP, agentes da Deati flagraram a situação no GAVS. A polícia obteve a informação de que na noite anterior, ela havia providenciado a transferência de 20 dos 37 idosos que estavam lá para um abrigo em Piatã. Neuza foi conduzida para a delegacia, onde negou as acusações feitas contra ela, apesar de os policiais terem encontrado e apreendido no local, alguns cartões do INSS.

Após ser ouvida, a acusada foi liberada, mas as investigações continuam em curso. “Pelas denúncias de maus tratos ela pode ser indiciada criminalmente e ser presa por um período de até cinco anos. Caso seja confirmado que ela teve relação com duas mortes de moradores do abrigo por maus tratos sofridos, sua pena pode chegar a 30 anos de prisão”, informou o delegado Nilton Costa da Deati.

Os 17 idosos que ainda estavam no GAVS foram levados por Neuza, sem as devidas identificações, para a Casa de Repouso Bom Jesus, que fica em Tubarão no bairro de Paripe, também no Subúrbio de Salvador.