Mulher é condenada por esconder bebê em porta-malas durante quase dois anos

Fonte: Uol

Crédito da Foto: Uol

Durante 23 meses, Rosa-Maria Da Cruz escondeu sua filha Séréna entre o porta-malas de seu carro e um quarto vazio de sua casa próxima à localidade de Brive-la-Gaillarde, no sudoeste da França.

A bebê foi encontrada em 2013, quando tinha entre 15 e 23 meses de vida. Hoje, a menina de 7 anos tem traços autistas causados por privação sensorial, segundo os especialistas que a examinaram. A menina, que não fala nem socializa, está em um orfanato.

Rosa-Maria Da Cruz, de 50 anos e nascida em Portugal, não queria que seu marido e os outros três filhos soubessem da existência de Séréna. Ela foi condenada por negligência causadora de incapacidade mental. .

Séréna foi encontrada em 2013 por Guillaume Iguacel, um mecânico que escutou ruídos enquanto consertava o carro de Rosa-Maria. Ao abrir o porta-malas, o homem encontrou a menina suja com excrementos. Estava desidratada e pesava a metade do que seria seu peso ideal.

Durante o julgamento, que durou cinco dias, a mulher disse que via Séréna como “uma coisa” até que o bebê tinha 18 meses, quando lhe sorriu. Às vezes se esquecia de alimentá-la por dias. “Quero pedir perdão a Séréna por todo o dano que lhe causei”, ela disse no tribunal.

Da Cruz foi condenada a 5 anos de prisão, mas só terá de cumprir dois. Também foi ordenado que a mãe perdesse permanentemente a guarda da filha. Da Cruz será acompanhada por assistentes sociais durante cinco anos e receberá tratamento psiquiátrico.

LEIA MAIS: Inscrições para o Programa Mais Médicos começam nesta quarta-feira

Acompanhe nossas transmissões ao vivo e conteúdos exclusivos no www.aratuonline.com.br/aovivo e no www.aratuonline.com.br/lives. Nos mande uma mensagem pelo WhatsApp: (71) 99986-0003.