Noivo de professora assassinada na Bahia é liberado da cadeia e será investigado em liberdade

Fonte: Daniela Mazzei

O noivo da professora assassinada em Riachão do Jacuípe no dia 3 de julho deste ano foi liberado da cadeia na tarde desta quinta-feira (4/8) após passar quase um mês preso em Teofilândia, a x quilômetros de Salvador. Cássio Fabrício Carneiro , de 29 anos, é um dos suspeitos do caso investigado pela polícia.

O delegado Sérgio Vasconcelos, responsável pelo caso, confirmou o fato ao Aratu Online. Segundo o delegado, o prazo de 30 dias para conclusão do inquérito se expirou sem que nenhuma prova material e testemunhal tenha sido apresentada contra Cássio.

No entanto, o delegado frisou que isso não significa que o noivo da vítima tenha sido inocentado. “Quero deixar claro que Cássio vai responder em liberdade, mas continua sendo suspeito e por isso continuará sendo investigado”, afirmou.

LEIA MAIS: Professora assassinada em Riachão do Jacuípe vai ser enterrada nesta terça; Polícia segue com investigação

LEIA MAIS: RESPOSTA: Assassinato de professora causa comoção e revolta em Riachão do Jacuípe

Ainda de acordo com Vasconcelos, Cássio terá de seguir algumas condições impostas pela Justiça para que possa responder em liberdade, como não fazer nenhum contato com parentes da vítima ou testemunhas; não sair viajar sem comunicar à Justiça e comparecer à Justiça a cada trinta dias.

O delegado informou que pediu à Justiça a prorrogação do prazo por mais trinta dias para conclusão do inquérito até que os laudos pendentes sejam finalizados. Segundo Vasconcelos, existem outras pessoas que são suspeitas e também estão sendo investigadas.