ONDA DE ASSALTOS: Com medo, motoristas de ônibus se recusam a entrar na Fazenda Grande do Retiro

Fonte: Diorgenes Xavier

A utilização do transporte público se revelou uma tarefa mais complicada do que o habitual para os moradores da Fazenda Grande do Retiro neste domingo, (28/2). O motivo é um protesto de motoristas e cobradores, que se recusam a entrar no bairro. A razão para a manifestação? Insegurança.

A informação foi confirmada pelo diretor do sindicato da categoria, Tiago Ferreira. Segundo ele, o bairro tem sido palco de uma “onda de assaltos” nos últimos meses. “Houve uma ação policial no local a cerca de 15 dias, mas a situação não melhorou”, explica.

Ainda de acordo com Ferreira, a situação mais crítica acontece no final de linha. Por isso, motoristas e cobradores não querem cumprir o trajeto até o local. “A categoria não aguenta mais essa situação”.

Ele não soube explicar, contudo, se este posicionamento se repetirá nesta segunda-feira (29/2). “Ainda não conversamos sobre isso. Não há uma posição oficial”.

Em nota, a Polícia Militar da Bahia informou que o policiamento na área está sendo intensificado com viaturas de radiopatrulhamento da “Gêmeos” e da 9ª CIPM e que os ônibus estão circulando normalmente no final de linha a Fazenda Grande do Retiro.

A PM-BA nega a ocorrência de arrastões no bairro, mas confirma que um rodoviário teve um celular roubado próximo ao final de linha. O caso já está sendo investigado.

A corporação solicita ainda que população colabore com informações, por meio do Disque Denúncia (3235-0000), ou acione o 190, para que as ações sejam intensificadas.

*Atualizada às 14h53