Ônibus deixam de circular na Ribeira após cobrador ser queimado durante protesto

Fonte: Da redação

Crédito da Foto: Reprodução twitter

A direção do Sindicato dos Rodoviários determinou que os ônibus deixem de circular no bairro da Ribeira nesta sexta-feira (3), após o cobrador Everaldo de Oliveira Silva, 53 anos, ser queimado durante um protesto. Em contato com a produção da TV Aratu, o diretor da entidade, Tiago Ferreira, informou que os motoristas estão sendo orientados a retornar na altura do Largo do Papagaio, onde aconteceu o problema, e do Largo do Bonfim. “Esta é uma medida de precaução. A expectativa é que os veículos não voltem ao local hoje”, afirmou.

Everaldo foi ferido após oito pessoas invadirem o veículo da empresa Praia Grande por volta das 12h30. De acordo com informações da equipe de reportagem do programa “Na Mira”, que esteve no local e entrevistou o motorista do coletivo, o grupo parou o veículo, adentrou e começou a jogar gasolina. Em uma tentativa de fugir do local, o cobrador pediu para descer do coletivo, mas um dos suspeitos disse que “era tarde demais” jogando a substância inflamável e em seguida ateando fogo à vítima.

Ele foi conduzido para o Hospital Ernesto Simões Filho, lúcido, após sofrer queimaduras graves, sendo transferido em seguida para o Hospital Geral do Estado. Não há mais informações sobre o seu estado de saúde. A ação, segundo o motorista do coletivo, foi motivada pela morte de um jovem do bairro.

A Polícia Militar informou em nota que foi intensificado o policiamento na região da Ribeira com o apoio de quatro viaturas da 17ª CIPM e duas da Rondesp BTS. Os policiais militares estão realizando rondas e abordagens preventivas após o fato. Como resultado dessas ações, nesta sexta-feira (3), policiais da 17ª CIPM conduziram para averiguação dois suspeitos de terem incendiado o ônibus, eles foram apresentados na 3ª delegacia, no Bonfim, contudo o motorista não reconheceu os mesmos. Um deles já havia sido preso por assalto a coletivo e o outro por tráfico de drogas. A 17ª CIPM segue em diligência no intuito de prender os acusados.