Orlando Andrade – quem não é visto pode ser lembrado…pela juventude

Fonte: Cris Almeida

Crédito da Foto: arquivo pessoal

***

Se o eleitor não mora em Feira de Santana, é capaz de nunca ter ouvido falar em Orlando Andrade, candidato a governador da Bahia nas eleições 2018 pelo Partido da Causa Operária (PCO). Tímido e distante da capital, não só fisicamente, o principal ponto de concentração da campanha é a sua cidade natal, a 110 quilômetros de Salvador.

Nos poucos contatos da reportagem do Aratu Online com o candidato, ele se definiu como um homem que “não gosta de aparecer”, mas que tem “juventude para fazer o que ninguém fez pela Bahia”.

Fazendo a linha “família” nas redes sociais, é impossível saber que se trata de um postulante ao maior cargo político estadual. Nos compromissos de campanha, Orlando fez questão de não abandonar o sertão: a cada dez afazeres de campanha, mais da metade eram na princesinha do sertão.

Sem participar dos debates nas emissoras de TV e rádio, Orlando fez uma campanha com pouca representatividade, como tem sido o PCO ao longo dos trinta e cinco dias de campanha eleitoral das eleições 2018.

Dos dois candidatos ao Senado que as coligações costumam indicar, a sigla aposta apenas em Adroaldo dos Santos, que não pontua em nenhuma das pesquisas eleitorais divulgadas até então. Nem as propostas de governo do candidato do PCO foram registradas no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

***