Padrinho de criança morta em Itapuã muda versão e diz que enterrou menino após mal súbito

Fonte: Da redação

Crédito da Foto: reprodução/Tv Aratu

Rafael Pinheiro, preso em flagrante na tarde desta quarta-feira (19), pela ocultação do cadáver de Vinícius de Carvalho dos Santos, de dois anos, desaparecido em uma feira no bairro de Itapuã na última sexta-feira (14), confessou o crime em depoimento. Contudo, em contato com o Aratu Online, a assessoria da Polícia Civil esclareceu que ele, pelo menos por enquanto, não pode ser apontado como o autor do crime.

Ao delegado Antônio Carlos Santos, Rafael disse que o garoto teria tido um mal súbito e, por isso, o enterrou nas dunas do Abaeté. Ele nega ter matado Vinícius. Agora, a polícia aguarda o resultado dos exames que estão sendo realizados pelo Departamento de Polícia Técnica (DPT). Eles dirão se a história dele, que alega ter tomado a atitude em um gesto de desespero, por não saber o que dizer aos familiares, faz sentido, ou não.

Durante a investigação, Rafael afirmava estar com Vinícius em uma barraca de verduras na feira e ter soltado da mão dele por um minuto. Quando virou, não a criança teria desaparecido. A polícia trabalhava também com relatos de testemunhas, que disseram ter visto Marcos sendo carregado por um homem para um veículo modelo Corolla na cor preta, onde também estava outra criança. O menino sofria de diabetes, tinha intolerância à lactose e possuía um cisto no pâncreas. Por conta de dores na barriga, ele tomava medicamentos regularmente e estava com cirurgia marcada.