Polícia já identificou casal que abusava sexualmente e mantinha jovem em cárcere privado em Conquista

Fonte: Da redação

Crédito da Foto: Divulgação Polícia Militar da Bahia

A polícia civil de Vitória da Conquista já identificou o casal que mantinha em cárcere privado e abusava sexualmente de uma jovem de 22 anos. De acordo com titular da Delegacia Especial de Atenção à Mulher (DEAM) do município, Decimária Cardoso, eles seguem foragidos. “Já sabemos quem são eles, mas ainda não conseguimos localizá-los”, disse. Segundo ela, os nomes não serão revelados neste momento.

Ainda de acordo com Cardoso, a mulher, que foi resgatada por policiais militares da Base Comunitária de Segurança da 77ª CIPM, no último domingo (20), já prestou depoimento. Ela teria sido levada até o local por uma amiga e, assim que chegou à residência, foi proibida de deixar o local. “As sessões de abuso tiveram início assim que ela chegou a casa”, contou.

Mesmo estando desparecida por tanto tempo, a polícia ainda não encontrou nenhum registro feito por familiares da jovem, denunciando o fato. Aos policiais que a resgataram, ela disse não ter noção do tempo em que permaneceu presa. A mulher foi localizada acorrentada em uma cela após denúncias de vizinhos, que ouviram os seus gritos. Além dos abusos sexuais, cometidos pelo homem, ela disse que era espancada por sua “patroa”, que a queimava com um ferro de passar roupa.

Policiais chamaram o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para atender a mulher, que tinha ferimentos em algumas partes do corpo. Em seguida, a jovem foi encaminhada para o Hospital São Vicente. No relatório divulgado pela unidade médica, foi constatado que a jovem tinha úlceras, desnutrição, desidratação e palidez. De acordo com a delegada Decimária Cardoso, ela também está tendo acompanhamento psicológico.