Autor de mais de 10 homicídios, criminoso vai responder pelos crimes de tráfico de drogas, associação para o tráfico e porte ilegal de arma

Fonte: Da redação

Crédito da Foto: divulgação/Polícia Civil

Anderson dos Anjos Santos, o “Buia”, 27 anos, foi preso por policiais militares da Rondesp/Atlântico. Segundo a Polícia Civil, Anderson responde por, pelo menos, mais de dez homicídios relacionados ao tráfico de drogas nos bairros: Pau Miúdo, IAPI, e Engenho Velho da Federação, onde foi preso na última segunda-feira (08).

Os mandados de prisão são referentes aos homicídios de Gleidson Fernandes Brandão, ocorrido em 7 de janeiro deste ano, no Pau Miúdo, e Sandra Maria Vilaça, três dias antes, na Cidade Nova. Ainda segundo a polícia, “Buia” também está envolvido no assassinato do rival Wesley Lima Souza, 20, na sexta-feira (5), na Baixa da Égua, também no Engenho Velho da Federação.

“Buia” foi flagrado com uma submetralhadora 9 mm, um revólver calibre 38, munições, quatro porções de maconha, dois papelotes de cocaína, uma capa de colete balístico, um brucutu e embalagens para acondicionar drogas. O material foi encaminhado à perícia do Departamento de Polícia Técnica (DPT).

Segundo o delegado Guilherme Machado, coordenador da 3ª Delegacia de Homicídios (DH/BTS), “Buia” também tem envolvimento nos homicídios dos rivais Emerson Lima Santos, ocorrido no dia 5 de maio, e Sandro Ferreira, o “Ebalo”, em 4 de abril, na localidade da Baixa da Égua.

IAPI

De acordo com o delegado Odair Carneiro, titular da Delegacia Homicídios Múltiplos (DHM), os homicídios de Valdemir Ferreira Machado, no dia 26 de março deste ano, Wellington Ribeiro dos Santos, no dia 13 do mesmo mês, Erick Conceição Silva, em 25 de fevereiro de 2014, e Esdras Araújo Lima, em 8 de dezembro de 2013, todos no IAPI, são atribuídos ao traficante “Buia”.

Com passagens por homicídio, “Buia” era procurado pelo DHPP e sua foto estava no aplicativo do Sistema de Informação para Proteção à Pessoa (SIPP), da Polícia Civil. Ele foi atuado pelos crimes de tráfico de drogas, associação para o tráfico, porte ilegal de arma, e vai responder pelos homicídios cometidos.

O Aratu Online fez uma matéria especial sobre a guerra de facções pela disputa por pontos de tráfico em vários bairros da capital baiana, incluindo o Engenho Velho da Federação. Os membros do CP retornaram ao bairro após um período de controle dos Caveiras e estão disputando pontos de venda de drogas.