Rebelião termina no presídio de Feira de Santana; número de mortes subiu para oito

Fonte: Da Redação

Crédito da Foto: Reprodução / WhatsApp

Terminou na manhã desta segunda-feira (25), por volta das 8h30, a rebelião de presos do Conjunto Penal de Feira de Santana, a 109 km de Salvador. O motim, iniciado na tarde de ontem (24), durou 18 horas e resultou na morte de oito detentos. Até o final da noite de domingo (24), havia a informação de que sete pessoas teriam sido assassinadas e cinco feridas a facas. Porém, na madrugada de hoje, por volta das 4h, mais um preso foi morto.

A equipe de reportagem da TV Aratu, presente nesta manhã no local, informou que os rebelados, que estavam reclusos no 10º Pavilhão, estão sendo transferidos, dois a dois, para outro bloco da mesma unidade prisional. Durante a transferência, eles estão sendo revistados para evitar que conduzam algum tipo de arma ou objeto não permitido para dentro das celas.

Ainda de acordo com a reportagem, o comandante da Companhia de Policiamento Regional Leste (CPRL), coronel Adelmário Xavier, disse que os presidiários fizeram, aproximadamente, 70 reféns. A liberação deles deve ser feita tão logo os detentos sejam transferidos, priorizando a situação de crianças e mulheres. O 10º Pavilhão do Presídio de Feira de Santana tem capacidade para abrigar 148 internos, mas no momento da manifestação havia 336 presos no local.

A rebelião que, segundo a polícia, ocorreu devido a uma briga entre facções criminosas, começou quando acontecia a visita de parentes dos presos. Membros da OAB e da Comissão de Direitos Humanos da Câmara Municipal de Feira de Santana estiveram no presídio, a pedido dos rebelados, para intermediar nas negociações que foram comandadas pela Polícia Militar.