SAÚDE ÍNTIMA: Especialistas alertam sobre cuidados com os órgãos sexuais no verão

Fonte: Juana Castro

CORPO E SAÚDE Especialistas alertam sobre cuidados com a região íntima no verão

Crédito da Foto: Arte/Iza Azevedo/Aratu Online

Ah, o verão! Época de Sol, praia, festas, água de coco, a cervejinha (por que não?)… E também um período em que as pessoas “relaxam” e cometem alguns descuidos com o corpo e, consequentemente, a saúde. Contudo, engana-se quem pensa que os cuidados devem ser apenas com a pele e hidratação. As regiões íntimas, tanto da mulher quanto do homem, também merecem um olhar, no mínimo, especial nessa estação.

Para esclarecer dúvidas e dar dicas sobre o assunto, o Aratu Online conversou com a ginecologista e obstetra Dra. Márcia Novaes e o urologista e andrologista Dr. Marcelo Brandão.

MULHERES

Dra Márcia

Dra. Márcia Novaes | Foto: Arquivo Pessoal

Em virtude da temperatura elevada e de algumas situações típicas do verão, como ficar muito tempo com uma roupa de banho molhada, é mais difícil, nesse período, alcançar o pH vaginal ideal, levemente ácido, em torno de 4,5. “Quando a mulher tem um pH mais alcalino, os germes anaeróbios – que não precisam de oxigênio para crescer -, espalham-se mais facilmente. Geralmente, eles liberam odores e podem gerar secreções. Já o pH muito ácido pode proporcionar o aparecimento de fungos”, explica Dra. Márcia.

Como encontrar esse equilíbrio? A médica dá algumas dicas: “usar mais calcinhas de algodão, evitar roupas sintéticas e apertadas, jeans… que dificultam a circulação de ar e facilitam a proliferação de fungos e germes”. Na praia ou na piscina, o recomendável é não ficar com o biquíni molhado por mais de uma hora. “É bom trocar por outra peça seca, quando tiver a oportunidade”, afirma.

LEIA MAIS: “Beber mais água”, alerta nutricionista sobre alimentação no verão; Veja outras dicas

HIGIENE E FLORA VAGINAL

Com vendas que prescindem receita, os sabonetes íntimos não são bem vistos pela ginecologista, pois, ao mesmo tempo em que destroem fungos e bactérias, influenciam também nos lactobacilos (benéficos) presentes na vagina e a deixam desprotegida.

“Em quantidade ideal, os lactobacilos funcionam como um exército de proteção. Se eles são destruídos, a mucosa genital fica mais vulnerável e suscetível a processos inflamatórios”, explica Dra. Márcia. Por isso, ela aconselha o uso de sabonetes íntimos glicerinados, de preferência na forma líquida, já que o “em barra” deixa mais resíduos. “Shampoo neutro para bebê também pode ser utilizado. O pH é equilibrado e deixa a flora vaginal em boas condições”, conclui a médica.

HOMENS

Dr. Marcelo Brandão | Foto: Divulgação

Para o sexo masculino as recomendações são parecidas. Segundo Dr. Marcelo Brandão, é importante se preocupar com alimentação e hidratação – que interferem em todo o corpo -, e, especificamente sobre a região íntima do homem, atentar-se à higiene principalmente. Além disso, assim como as mulheres, o ideal é usar roupas mais frescas, cuecas de algodão e evitar sunga molhada por muito tempo.

“Nesta época é comum o aparecimento de fungos como os que causam a candidíase, por exemplo. Eles podem, inclusive, ser passados nas relações sexuais. Então é bom lavar direito a região peniana, com água e sabão, e usar preservativo, mas esses são cuidados sempre necessários, não só no verão”, falou o médico. “Quanto aos pelos pubianos, é melhor apará-los do que raspá-los ou cortá-los, a fim de evitar lesões e infecções”, completou.

Aos que têm vida sexual ativa, observar o órgão para ver se tem fimose (incapacidade de expor a glande), pois isso acarreta em machucados frequentes durante o ato. Se sim, procurar um urologista para tomar as medidas necessárias.

LEIA MAIS: ‘QUATRO SEMANAS’: A história da jovem que deu à luz 30 dias após descobrir gestação

Para além do pênis, a região anal não deve ser esquecida, e as informações a seguir também valem para a mulherada. “É importante se hidratar mais, para evitar ressecamento intestinal e, consequentemente, feridas no ânus. A afirmativa merece mais atenção, ainda, a quem sofre com hemorroidas, já que as complicações podem não ser apenas externas, mas também no reto [a parte final do intestino grosso]”, explica Dr. Marcelo.

Como um último alerta, o urologista fala das tendências estéticas na região anal. “Não recomendo clareamento e depilação nessa área, não só no verão, mas a qualquer hora, pois há risco de ferimentos, alergias, entre outros problemas”, conclui.

Se ainda restar dúvidas ou perceber situações e/ou sintomas anormais, procure seu médico. No mais, tomadas as devidas precauções, é hora de curtir a estação mais quente do ano, de forma segura e saudável.

LEIA MAIS: “SUPER SALÁRIOS”: Magistrados ultrapassam teto constitucional e chegam a ganhar R$ 83 mil

Acompanhe nossas transmissões ao vivo e conteúdos exclusivos no www.aratuonline.com.br/aovivo e no facebook.com/aratuonline.

*Publicada originalmente às 6h