Sindicato retira ônibus do IAPI após ataque; PM garante reforço na segurança com viatura “exclusiva” no local

Fonte: Jean Mendes

Crédito da Foto: Paula Ary/Tv Aratu

O presidente do Sindicato dos Rodoviários, Hélio Ferreira, confirmou ao Aratu Online que os ônibus não entram no bairro do IAPI, em Salvador, pelo menos até o final desta segunda-feira (14/3). A motivação, segundo ele, é o medo de outros incêndios a coletivos, como aconteceu no início da tarde, aconteçam novamente.

O comandante da 37ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM/Liberdade), major Edmilton Marques, afirma que uma viatura está fixa no local para garantir a segurança de moradores e rodoviários.

O militar diz desconhecer a decisão do Sindicato, mas detalha que uma operação foi montada no local. “Se está acontecendo isso [rodoviários se negando a entrar no IAPI], não é por nossa causa. Existe uma viatura exclusiva para garantir a segurança no local, do Largo do Tamarineiro até o final de linha, desde depois do incêndio”, destaca Marques.

O oficial pondera ainda que, após o vandalismo, a 37ª CIPM recebeu apoio de outras divisões da PM. “Nos momentos iniciais tivemos reforço da ‘Operação Apolo’ e ‘Rondesp’. Posso garantir ainda que uma viatura da Rondesp vai estar nos entornos do IAPI”.

O presidente do Sindicato dos Rodoviários não disse quando os coletivos vão voltar a circular até o final de linha do local. Segundo ele, um final de linha foi improvisado no bairro do Retiro. O comandante da 37ª CIPM detalha ainda que uma outra equipe vai estar no IAPI nas primeiras horas da manhã. “Essa viatura exclusiva vai estar lá já às 6h”, finaliza o major Edmilton.

MOTIVAÇÃO 
Segundo testemunhas, o ataque a ônibus foi em protesto contra uma operação da Rondesp na localidade conhecida como Baixinha de Santo Antônio. Os moradores relatam que os policiais chegaram atirando na comunidade durante uma operação, deixando, pelo menos, sete pessoas atingidas, duas delas crianças. Entre as vítimas uma pessoa morreu e as demais foram encaminhadas para o Hospital Ernesto Simões, no Largo do Tamarineiro.