Suspeito de ter participação na morte de policial rodoviário diz que dívida motivou crime

Fonte: Da redação

Crédito da Foto: divulgação/Polícia Civil

A Polícia Civil apresentou nesta sexta-feira (02), todos suspeitos de participar no assalto que vitimou o policial rodoviário federal Marcelo Caribé de Carvalho, na noite de 24 de setembro, na Rua Ceará, no bairro da Pituba. No depoimento, um dos suspeitos, Paulo Tiago Rabelo dos Santos, teria dito ao delegado que participou do assalto porque precisava pagar uma dívida de drogas no valor de R$ 600.

O último a ser preso foi Vitor Vagner Matos Neri, de 28 anos, apontado como o autor do disparo que matou a vítima. Ele teve o mandado de prisão cumprido, na manhã desta sexta-feira (02), na sede da Polícia Civil, na Praça da Piedade, onde se apresentou acompanhado de um advogado. Além de Paulo e Vitor, Idenivaldo Santos de Oliveira, o “Vinte do Cavaco”, de 33 anos, também foi preso na segunda-feira.

A polícia detalhou a prisão dos envolvidos e disse que Idenivaldo foi preso em Camaçari. Já Tiago teve o mandado de prisão cumprido, na manhã de quarta-feira (30), no DHPP. Idenivaldo era proprietário e dirigiu o carro, um Gol, prata, de placa JQM-3348, apreendido pela policia, que levou os criminosos ao local do assalto. Já Tiago, era responsável por recolher os pertences das vítimas durante a ação criminosa.

De acordo com o delegado Odair Carneiro, titular da Delegacia de Homicídios Múltiplos (DHM), que preside o inquérito, Vitor foi baleado, na noite de terça-feira (29), no bairro de Cosme de Farias, em circunstâncias ainda desconhecida pela polícia, e socorrido para o Hospital do Subúrbio. O criminoso recebeu alta médica ao meio dia de quarta-feira (30), mas a polícia só teve conhecimento de seu atendimento na unidade de saúde às 13 horas, depois que ele já havia recebido alta médica. Ferido na perna, ele forneceu um nome diferente e disse que tinha sido vítima de assalto.

Um revólver calibre 38 usado no assalto, um tablete de crack e um de pasta base de cocaína foram apreendidos pela polícia em uma casa, em Cosme de Farias, utilizada por Vitor como esconderijo. Apesar dos criminosos não terem passagens policiais, as investigações apontam que eles têm envolvimento em outros assaltos e com tráfico de drogas na região de Cosme de Farias.

Antes de execução do crime, o trio passou três vezes pelo local observando a movimentação de pessoas e a quantidade de objetos de valor em cima da mesa, na barraca onde o policial estava comemorando com os amigos a passagem por Salvador. Ele tinha chegado de Rondônia no dia 19 de setembro, onde estava há seis meses exercendo a função de policial rodoviário federal.