Suspeito no envolvimento em sequestro de cabeleireira morre durante confronto com policiais civis

Fonte: Da redação

Um homem, identificado apenas como Damião dos Santos, morreu em confronto com policiais civis no bairro da Engomadeira, em Salvador, na noite da última sexta-feira (21). Segundo a polícia, ele é um dos suspeitos de ter participação no sequestro da cabeleireira Arlete Patez, no mês de julho. Outros cinco homens envolvidos na ação foram presos pela polícia desde o início das investigações.

A polícia detalhou ainda que Damião foi baleado na troca de tiros com os policiais. Ele chegou a ser socorrido para o Hospital Geral Roberto Santos, mas não resistiu aos ferimentos e morreu por volta das 22h30. Ainda de acordo com a polícia, uma pistola, que estava em poder do suspeito, foi apreendida. O corpo de Damião foi encaminhado ao Instituto Médico Legal Nina Rodrigues.

Outras prisões
Na manhã também de sexta-feira, o delegado Cleandro Pimenta, do Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco), apresentou três homens envolvidos no sequestro de Arlete. O soldado PM Solemar Alves Campos, de 41 anos, apontado como um dos mentores do sequestro, Andresson Lopes de Oliveira, 35, companheiro de uma empregada do salão da vítima, e Filipe Assis Lima, 21.

Manoel Candido da Paes, 46 anos, que foi preso em Salvador e revelou a localização do cativeiro de Arlethe, em Teolândia, distante 280 quilômetros de Salvador, e Inael Moura de Jesus, o “Baby”, 29, responsável por cuidar da refém, foram os primeiros a serem presos.

O caso
Arlethe Patez foi sequestrada no dia 22 de julho, quando saía do trabalho, no bairro Costa Azul, e resgatada 11 dias depois por investigadores do Draco, que estouraram o cativeiro em que se encontrava, numa cidade do sul da Bahia. Na oportunidade, a polícia disse que os bandidos queriam como resgate o valor de R$ 600 mil (que não chegou a ser pago). Eles entraram em contato quatro vezes com a família da vítima.