TRABALHO ESCRAVO: Auditores encontram oito trabalhadores explorados em obra no município de Ilhéus

Fonte: Da redação

Crédito da Foto: Divulgação

Auditores Fiscais do Trabalho encontraram na última quinta-feira (9/6), oito trabalhadores mantidos em condições análogas ao trabalho escravo no município de Ilhéus. Eles atuavam na construção do Centro de Arte e Esporte Unificado – CEO, obra financiada pelo Governo Federal e pela Prefeitura da cidade.

Em depoimento, todos relataram que vieram da cidade de Serrinha, localizada na região nordeste da Bahia, com promessa de trabalho em Ilhéus. Porém, desde que iniciaram as atividades no local, há dois meses atrás, não recebiam salário, sem possibilidade de retornar à cidade de origem, e não tinham a carteira de trabalho assinada.

Segundo o Auditor Fiscal Daniel Fiuza, no local da obra não havia banheiro em condições de uso, refeitório adequado para que os trabalhadores fizessem as refeições, nem água potável. Além das condições precárias de trabalho, os trabalhadores eram submetidos a condições degradantes, dormindo em mesas, camas improvisadas, sem colchões e travesseiros.

Durante a ação, os trabalhadores paralisaram as atividades e foram resgatados da casa em que eram mantidos e levados ao alojamento do centro de Referência de Assistência Social da Cidade – CRAS.