Unesco concede a Salvador o título de “Cidade da Música”

Fonte: Da redação

Crédito da Foto: Agecom

A Unesco – Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura- concedeu, dentro da Rede Cidades Criativas da entidade, o título de “Cidade da Música” a Salvador nesta sexta-feira (11).

A Rede de Cidades Criativas da Unesco tem como objetivo promover a cooperação internacional entre cidades comprometidas em investir na criatividade como uma propulsão para o desenvolvimento urbano sustentável, a inclusão social e aumento da influência da cultura no mundo. A Rede engloba sete áreas temáticas: Artesanato e Artes Folclóricas, Design, Filme, Gastronomia, Literatura, Artes Midiáticas e Música. Salvador é o primeiro município brasileiro a ser contemplado com o título de “Cidade da Música”.

“A notícia da escolha de Salvador como “Cidade da Música” chega em um momento muito especial porque estamos colhendo os frutos de um trabalho árduo de transformação da nossa capital. Em quase três anos de administração, recuperamos a autoestima da população porque investimos em todos as áreas, em todos os bairros. Agora, a poucos dias do Réveillon e do Carnaval, eventos essencialmente musicais, nada melhor do que sermos contemplados com o título por uma entidade tão importante como a Unesco”, disse o prefeito ACM Neto.

O prefeito fez questão de dividir o título com todos os músicos e artistas que fazem de Salvador o berço musical do Brasil. “Os cantores, instrumentistas, compositores e todos que estão envolvidos com a música merecem este título porque levam a nossa história e cultura para o mundo”, acrescentou ACM Neto.
Segundo o gestor do Escritório Salvador Cidade Global, a escolha contribuirá ainda mais para o fortalecimento da cultura local, promoção internacional e incremento do desenvolvimento humano, social e cultural que já são impulsionados pela música na cidade.
A expectativa municipal é que a chancela da UNESCO possibilite uma atração maior de investimentos no segmento da economia criativa e aqueça o turismo, uma vez que cidades criativas são consideradas destinos turísticos mais competitivos.​