Vereadores acionam Kannario por crimes contra honra e decisão pode até prender cantor

Fonte: Da redação

Crédito da Foto: Nestor Carrera - Aratu Online

O procurador parlamentar e líder da oposição na Câmara Municipal de Salvador (CMS), José Trindade (PSL), protocolou um documento que acusa o cantor-vereador Igor Kannário (PHS) de “ferir” a “honra e a imagem dos integrantes” da Casa, na manhã desta sexta-feira (3/3), no Ministério Público da Bahia (MP-BA).

Trindade se refere à declaração de Kannário durante show no bairro da Liberdade no Carnaval, onde o cantor compara a Câmara de Vereadores ao “crime organizado”.

LEIA MAIS: REVIRAVOLTA: Elogiado por Kannario no trio, ex-petista deve representar contra ‘Principe do Gueto’ no MP

Em 13 páginas o líder da minoria solicita que a atitude do cantor seja enquadrada nos artigos 138, 139 e 140 do Código Penal. Ou seja, crimes contra a honra de calúnia, difamação e injúria, respectivamente, com pena de até um ano de prisão, além de multa.

No documento, o líder diz que o cantor ultrapassou os “limites da liberdade de expressão” e acusa Kannário de tentar “destruir a imagem e credibilidade da Câmara Municipal de Salvador”. Os adjetivos usados por Trindade são contrários aos que foram usados pelo cantor e aparecem repetidamente durante todo o texto. Termos como “respeitável”, “honrosa” e “moral”, direcionados à Casa, são usados em quase todas 13 páginas de documento.

Trindade, ainda, ressalta que não se deve falar em “imunidade parlamentar” durante “show carnavalesco sem qualquer contexto legislativo”. Na peça, é pedido que seja aberta uma investigação na Câmara de Salvador para que, não restem “dúvidas acerca da conduta dos vereadores esta casa Legislativa, por ser medida da mais lídima justiça”.

Veja trecho do documento:

LEIA MAIS: EXPLICAÇÕES: Contra Kannário, oposição reúne com jurídico da Câmara para levar ação até o MP

Acompanhe nossas transmissões ao vivo e conteúdos exclusivos na página facebook.com/aratuonline e também pelo youtube.com/portalaratuonline.