Na trilha da série: The Voice (EUA) e a força da country music

O reality show musical The Voice encerrou, em dezembro, sua décima quinta temporada nos Estados Unidos, e já tem data de estreia da temporada 16 agendada para o mês de fevereiro de 2019. O argumento original desse longevo reality vem da Holanda, e foi criado por John de Mol, o fundador da Endemol e da Talpa Media Group, empresas responsáveis por outros grandes sucessos de TV de realidade, como Big Brother e Masterchef, por exemplo.

Apesar de ter sido adaptado em diversos países ao redor do mundo, foi nos EUA que o The Voice teve maior durabilidade e disseminação. Contando com 49 indicações e 7 vitórias nos Emmy Awards – incluindo as conquistas de melhor série de competição de reality em 2013, 2015, 2016 e 2017 – esse produto se estabeleceu no topo do tão variado mercado estadunidense de programas de realidade.

A premissa do programa – e que o diferencia em relação a outros formatos de reality musical, como por exemplo o American Idol – é que a seleção de candidatos para a competição de canto seja somente baseada na voz, e não em qualquer outra avaliação, como por exemplo de gênero, aparência ou idade dos competidores. Sendo assim, as audições são feitas às cegas, com os técnicos virados de costas para os cantores. Eles só podem ver de quem se trata se baterem o botão e escolherem essa pessoa para seus times.

Muitos técnicos célebres já passaram pelo The Voice: Christina Aguilera, Cee Lo Green, Usher, Shakira, Gwen Stefani, Pharrell Williams, Miley Cyrus, Alicia Keys, Jennifer Hudson, Kelly Clarkson, além do novato John Legend, cuja estreia no programa ocorrerá na 16ª temporada. No entanto, dois técnicos estão presentes desde o início da atração em 2011: Adam Levine, do Maroon 5, e o cantor country Blake Shelton. Destacaremos na coluna de hoje o papel desse último técnico, suas vitórias, além da relevância da música country na história desse programa.

A country music é um gênero musical bastante relevante na história dos Estados Unidos. Poderíamos realizar, com ressalvas, uma aproximação da música country nos Estados Unidos com o mercado sertanejo no Brasil. É um gênero antigo, que nasceu como representação da vida interiorana no país, e que hoje compreende diversos subgêneros. A cidade que representa a força desse gênero é Nashville, no Tennessee, que inclusive dá nome a uma série musical que traz as nuances desse mercado nos EUA [série Nashville, 2012-2018].

A série Nashville foi inclusive cancelada pela ABC e posteriormente resgatada para suas últimas temporadas pela CMT – a Country Music Television, um canal privado cuja programação se baseia especificamente na música country. Esse é só um exemplo de como o mercado de música country nos Estados Unidos se estabelece de forma marcante e independente, contando também com seus próprios mecanismos de premiação [Country Music Association Awards, desde 1967] e gravadoras específicas do gênero [diversas, como a Big Machine Records e a Capitol Records Nashville], por exemplo.

The Voice e Blake Shelton

No The Voice, a country music está representada, desde a estreia, pelo técnico Blake Shelton. O cantor, que possui mais de 20 anos de carreira, só não teve representantes de seu time na final do programa uma vez. Em 7 das 15 temporadas, levou inclusive não só um, mas dois participantes para a grande final. Saiu vencedor em 6 temporadas do reality, não exclusivamente com cantores country, porém sempre destacando esse tipo de artista em seu time.

Raras vezes os artistas country, quando possuem o poder de escolha – no caso de mais de um técnico virar a cadeira para o cantor – não escolhem Blake. É uma busca comum, também pelo senso de comunidade desse gênero que é passado por Shelton: por diversas vezes o técnico já falou em um sentimento de família, afirmando que apoia a carreira dos artistas de seu time em um momento posterior ao programa. A escolha por Blake é, portanto, vista como uma oportunidade de maior visibilidade e ascensão na indústria country.

Alguns artistas country que se destacaram no programa são os vencedores Danielle Bradberry (4ª temporada), Craig Wayne Boyd (7ª temporada) e Sundance Head (11ª temporada). Ressalto também a vencedora Cassadee Pope (3ª temporada), parte do time Blake Shelton, que, apesar de ter entrado no The Voice como vocalista de uma banda de pop punk, investiu em outra vertente de carreira, na country music, após o término do programa.

É comum, no The Voice, que os artistas country permaneçam bem votados até as últimas fases da competição, muitas vezes também chegando à final. Em 11 das 15 finais até hoje, houve a presença de pelo menos um artista country, sendo que, na última temporada, três dos quatro finalistas eram artistas desse gênero.

The Voice temporada 15: a estreia de Kelsea Ballerini e a vitória de Kelly Clarkson

Outro ponto a se ressaltar sobre a relevância do country para o programa é que, na 15ª temporada, o The Voice estreou um quadro chamado “The Comeback Stage”, no qual uma quinta técnica convocava alguns dos participantes rejeitados nas audições às cegas e os treinava paralelamente, selecionando um deles para retornar à competição durante os shows ao vivo. A técnica convidada foi mais uma cantora de country: Kelsea Ballerini, da vertente pop country contemporânea, em destaque no cenário atual. Kelsea inclusive sairá em turnê esse ano com Kelly Clarkson, outra técnica do reality.

E foi justamente Kelly que trouxe outro momento importante para a 15ª temporada do The Voice: a técnica saiu vencedora dessa edição com Chevel Shepherd, uma cantora country de 16 anos. Um momento histórico, visto que foi a primeira vez que outro técnico venceu o programa com um artista country – feito apenas realizado outras três vezes por Blake Shelton. Clarkson inclusive disputou Chevel com Shelton durante as audições, e saiu vencedora – já aí um grande choque inicial para os espectadores.

Além disso, essa foi a segunda vitória consecutiva de Kelly como técnica, sendo ela mesma uma artista oriunda de reality show musical (a vencedora da primeira temporada do American Idol, ainda no início dos anos 2000). Fica então o questionamento: será que a vitória de Kelly Clarkson fará com que mais artistas country desejem fazer parte de seu time, trazendo competição ao veterano Blake Shelton? Só assistindo a 16ª temporada para conferir! Por enquanto, vejam aqui a audição às cegas da mais recente vencedora do programa:

 

*Hanna Nolasco é jornalista, mestre em Comunicação e Cultura Contemporâneas pela Universidade Federal da Bahia e desenvolve pesquisas sobre o uso da música em produtos televisivos.

 

Nenhum Comentário

Os comentários estão desativados.